Resultados financeiros de 2014: Grupo Renault atinge os objetivos do ano.

  • Emplacamentos em alta de 3,2%, com 2,7 milhões de unidades.
  • Faturamento do Grupo de 41,055 bilhões de euros (+0,3%). Com exceção do efeito de câmbio, crescimento de 3,1%.
  • Margem operacional do Grupo de 1,609 bilhão de euros contra 1,242 bilhão de euros, representando 3,9% do faturamento contra 3,0% em 2013.
  • Margem operacional da Divisão Automobilística de 858 milhões de euros, contra 495 milhões de euros (2,2% contra 1,3%).
  • Resultado operacional do Grupo de 1,105 bilhão de euros contra -34 milhões de euros em 2013.
  • Resultado líquido de 1,998 bilhão de euros contra 695 milhões de euros.
  • Fluxo de caixa livre operacional da Divisão Automobilística positivo em 1,083 bilhão de euros.

“Atingimos todos os objetivos anunciados para 2014. Esta nova etapa confirma que estamos no caminho certo para atingir as metas de nosso planejamento estratégico ‘Renault Drive the Change’. O ano de 2015 deverá permitir o alcance de novos patamares, graças a uma ofensiva de produtos sem precedentes na história da Renault” declarou Carlos Ghosn, Presidente do Grupo Renault.

Em 2014, o faturamento do Grupo ficou em 41,055 bilhões de euros, em alta de 0,3% em relação a 2013. A uma taxa de câmbio constante, houve um aumento de 3,1%.

A contribuição da Divisão Automobilística para o faturamento atingiu 38,874 bilhões de euros, também em alta de 0,3% em relação a 2013. O Grupo compensou o impacto negativo das moedas com altas de preços, com exceção da Europa, e com uma forte progressão das vendas de componentes e veículos às empresas parceiras.

margem operacional do Grupo ficou em 1,609 bilhão de euros, contra 1,242 bilhão de euros em 2013, representando 3,9% do faturamento (3,0% em 2013).

margem operacional da Divisão Automobilística aumentou de 363 milhões de euros para 858 milhões de euros e atingiu 2,2% do faturamento. Esta performance se explica pela redução dos custos e crescimento da atividade, apesar de um impacto desfavorável das moedas e da renovação de alguns modelos em fim de vida.

contribuição da Divisão de Financiamento das Vendas para a margem operacional do Grupo atingiu 751 milhões de euros, contra 747 milhões de euros em 2013. Esta estabilidade é resultado da queda do produto líquido bancário compensada pela alta da média dos créditos em circulação e o desenvolvimento da atividade de serviços. O custo do risco continua estável em 0,43%.

Os outros produtos e despesas operacionais ficaram negativos em 504 milhões de euros, principalmente em razão de custos de reestruturação de 305 milhões de euros e a depreciação de ativos, de 153 milhões de euros.

O resultado operacional do Grupo ficou em 1,105 bilhão de euros, contra -34 milhões de euros em 2013. Esta melhora se explica pela progressão da margem operacional e redução das outras despesas operacionais, de 772 milhões de euros.

contribuição das empresas associadas, essencialmente a Nissan, aumentou para 1,362 bilhão de euros, contra 1,444 bilhão de euros em 2013, após o resultado negativo da AVTOVAZ de -182 milhões de euros.

resultado líquido ficou em 1,998 bilhão de euros e o resultado líquido de participação do Grupo ficou em 1,890 bilhão de euros (6,92 euros por ação versus 2,15 euros por ação em 2013).

fluxo de caixa livre operacional da Divisão Automobilística ficou positivo em 1,083 bilhão de euros, principalmente em razão da alta da rentabilidade operacional e após a avaliação de uma variação positiva das necessidades de capital de giro de 596 milhões de euros no período.

Um dividendo de 1,90 euro por ação, contra 1,72 euro no ano passado, será submetido à aprovação da próxima Assembleia Geral dos Acionistas.

 

PERSPECTIVAS PARA 2015

Apesar das incertezas econômicas em vários países, a demanda mundial por automóveis deve continuar crescendo em 2015 (+2%). O mercado europeu deve também ter uma ligeira alta de 2%; em relação aos principais mercados emergentes, o Grupo Renault prevê que haja novamente uma forte volatilidade.

Neste contexto, o Grupo Renault pretende:

– aumentar novamente emplacamentos e faturamento (com taxa de câmbio constante),

– manter a melhoria da margem operacional do Grupo e da Divisão Automobilística,

– gerar um fluxo de caixa livre operacional da Divisão Automobilística positivo.

 

Resultados consolidados da Renault

Em milhões de euros 2014 2013 Variação
Faturamento do Grupo 41.055 40.932 +0,3%
Margem operacional 1.609 1.242 367
Em % do faturamento 3,9% 3,0% +0,9 pt
Outros produtos e despesas operacionais -504 -1.276 772
Resultado operacional 1.105 -34 1.139
Resultado financeiro -333 -282 -51
. . .
Participação no resultado das empresas associadas 1.362 1.444 -82
Dentre as quais: NISSAN 1.559 1.498 61
AVTOVAZ -182 -34 -148
. . .
Impostos correntes e diferidos -136 -433 297
Resultado líquido 1.998 695 1.303
Resultado líquido, participação do Grupo 1.890 586 1.304
Fluxo de caixa livre operacional da Divisão Automobilística 1.083 827 256

 

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

As demonstrações financeiras do Grupo e o resultado financeiro da Renault S.A. consolidados em 31 de dezembro de 2014 foram examinadas pelo Conselho de Administração de 11 de fevereiro de 2015. Os Auditores do Grupo realizaram os procedimentos de análise destas contas, e os relatórios de auditoria relativos à certificação destas contas consolidadas e resultados financeiros estão sendo elaborados. O relatório anual com a análise completa dos resultados financeiros de 2014 está disponível em www.group.renault.com na área « Finance ».

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *