Rally dos Sertões 2014, prova válida pelo campeonato mundial, reúne no Brasil os melhores pilotos de moto da atualidade

Competição entre Goiás e Minas Gerais terá 2.609 quilômetros; atual campeão do mundo, o português Paulo Gonçalves, da Team HRC, defende o título: categoria duas rodas é a mais difícil e emocionante 

Com a participação dos melhores pilotos do mundo, começou nesta quinta-feira (21/08), em Goiânia (GO), a programação oficial da 22ª edição do Rally dos Sertões, válido pelo Campeonato Mundial de Rally Cross Country nas categorias motos e quadriciclos. A largada para a primeira etapa será no domingo (24/08), entre a capital de Goiás e Caldas Novas (veja detalhes abaixo).

A competição conta com mais três categorias (carros, caminhões e UTVs – uma espécie de buggy) e terminará dia 30 de agosto, em Belo Horizonte, depois de 2.609 quilômetros no total, sendo 1.573 cronometrados – válidos para a soma dos tempos que determinará os vencedores. Sete cidades de Goiás e Minas Gerais vão receber a caravana da prova, que tem cerca de 200 pilotos participantes.

Disputa acirrada

A briga pelo Mundial será de arrepiar nas motos e deve monopolizar as atenções da mídia, já que emissoras de TVs de vários países irão exibir as imagens da competição. A Team HRC (Honda Racing Corporation), equipe de fábrica da Honda, terá dois dos principais pilotos da atualidade: os portugueses Paulo Gonçalves, campeão do mundo em 2013, e Helder Rodrigues, 5º colocado no Dakar 2014. Ambos correm com a Honda CRF 450 Rally.

O brasileiro Jean Azevedo, da Equipe Honda Mobil, é forte candidato ao título e o piloto com mais participações no Rally dos Sertões (fará em 2014 a 19ª, sendo 15 de moto e quatro de carro). Paulista de São José dos Campos, ele busca mais uma vitória em duas rodas. “Quero conquistar o hexacampeonato nas motos, um título inédito em 22 anos de história da competição”, diz Jean, que pilotará uma Honda CRF 450X.

A lista de favoritos nas motos é grande, tanto na classificação geral quanto nas categorias. Além do trio Paulo, Helder e Jean, outros pilotos são candidatos à vitória, como o espanhol Marc Coma, tetracampeão do Dakar; David Casteu (França), Sam Sunderland (Grã-Bretanha), Ruben Faria (Portugal), Jordi Viladoms (Espanha) e os brasileiros Nielsen Bueno e Júlio Zavatti, o “Bissinho”, da Equipe Honda Mobil; os irmãos Guto e Ike Klaumann, da Klaumann Team, e Ricardo Martins.

“Vamos assistir a um Sertões bem difícil e extremamente disputado, já que os melhores pilotos do mundo estarão no Brasil. A Equipe Honda Mobil vai lutar pelo título na Geral e também nas categorias. Estamos bem preparados em busca da vitória e com ótima infraestrutura”, garante o mineiro Dário Júlio, chefe de uma das maiores equipes brasileiras nas motos.

O time brasileiro e os portugueses da HRC vão utilizar duas carretas totalmente equipadas com 26 camas, suítes, estações multimídias individuais com internet, som e TV, banheiros, chuveiro, cozinha, home theater e sala de reuniões. Os caminhões também servem como área de box para a manutenção das motos.

Programação
21 e 22/08 – Vistorias técnicas e administrativas
23/08 – Prólogo às 10 horas (autódromo)
23/08 – Largada promocional às 19h30 (autódromo)
24/08 – Largada para a primeira etapa entre Goiânia e Caldas Novas
30/08 – Chegada em Belo Horizonte
Etapa a etapa
A quarta e a quinta etapas devem ser decisivas para o Sertões 2014. Na quarta-feira, entre Paracatu e São Francisco, em Minas Gerais, os competidores vão enfrentar o trecho cronometrado mais longo da competição, com 363,85 quilômetros.

E para complicar ainda mais a vida dos pilotos e equipes, no dia seguinte, entre São Francisco e Diamantina, o dia será “Maratona”. Ou seja, os pilotos não poderão contar com equipes de apoio e assistência mecânica. Quem superar bem esses dois dias terá grandes chances de vitória.

PRÓLOGO EM GOIÂNIA (GO)

23/08 – sábado
Deslocamento Inicial: 22,65 km
Prólogo: 10,82 km
Deslocamento Final: 18,75 km
Total: 52,22 km

1ª ETAPA – GOIÂNIA (GO)/CALDAS NOVAS (GO)
24/08 – domingo
Deslocamento Inicial: 40,5 km
Trecho Cronometrado: 155,65 km
Deslocamento Final: 20,06 km
Total: 216,21 km

2ª ETAPA – CALDAS NOVAS (GO)/CATALÃO (GO)
25/08 – segunda-feira
Deslocamento Inicial: 39,54 km
Trecho Cronometrado: 202,23 km
Deslocamento Final: 18,59 km
Total: 260,36 km

3ª ETAPA – CATALÃO (GO)/PARACATU (MG)
26/08 – terça-feira
Deslocamento Inicial: 22,20 km
Trecho Cronometrado: 209,86 km
Deslocamento Final: 128,39 km
Total: 360,45 km

4ª ETAPA – PARACATU (MG)/SÃO FRANCISCO (MG)
27/08 – quarta-feira
Deslocamento Inicial: 135,24 km
Trecho Cronometrado: 363,85 km
Deslocamento Final: 86,21 km
Total: 585,30 km

5ª ETAPA – SÃO FRANCISCO (MG)/DIAMANTINA (MG)
28/08 – quinta-feira – MARATONA
Deslocamento Inicial: 223,57 km
Trecho Cronometrado: 335,98 km
Deslocamento Final: 85,89 km
Total: 645,44 km

6ª ETAPA – DIAMANTINA (MG)/DIAMANTINA (MG)
29/08 – sexta-feira
Deslocamento Inicial: 0 km
Trecho Cronometrado: 178,87 km
Deslocamento Final: 25,42 km
Total: 204,29 km

7ª ETAPA – DIAMANTINA (MG)/BELO HORIZONTE (MG)
30/08 – sábado
Deslocamento Inicial: 54,38 km
Trecho Cronometrado: 125,88 km
Deslocamento Final: 151,96 km
Total: 336,96 km

Entenda o Rally dos Sertões

O que é: Competição disputada em estradas de terra, com muita pedra, poeira, travessia de rios, serras, areia fofa, dunas e trilhas. O competidor não conhece o roteiro antecipadamente e usa a “planilha”, uma espécie de mapa que indica o caminho. Ele só recebe a planilha na véspera de cada largada.

A categoria moto é a mais difícil e atraente de um rali, já que piloto de moto também precisa navegar (seguir a planilha); Já carros, caminhões e UTV’s têm piloto e navegador. Ou seja, um dirige e outro vai “indicando o caminho”.

Como é: A organização bloqueia as estradas e o caminho fica “livre” para os competidores. Mas às vezes aparecem pela frente algumas carroças, animais, caminhões de leite e etc.

A largada: Ao contrário de outras corridas, onde todos largam juntos do grid, como no Superbike e Fórmula 1, no rali é diferente. Os pilotos largam um a um, com intervalos que podem variar entre 2 minutos e 30 segundos. Algumas provas, em busca de inovação, como o Dakar, já fizeram largadas com todos juntos em pleno Saara ou de dois em dois e etc.

O que é trecho especial: O trecho chamado de “especial” é aquele onde os competidores realmente podem acelerar à vontade e correm contra o relógio – cronometrado. A soma do tempo de cada dia determinará os campeões.

O que é deslocamento: Existe o deslocamento “inicial” e o “final”. O inicial é o trecho entre a cidade dormitório até o ponto da largada em uma estrada de terra. Às vezes esse deslocamento pode chegar a 100, 200 e 300 quilômetros de distância. Às vezes não há deslocamento, já que a largada pode ser na própria cidade. A chegada idem.

Exemplo de deslocamento e especial. Imagine uma etapa entre São Paulo e Rio de Janeiro. Os competidores saem da Avenida Paulista e vão até São José dos Campos pela Dutra. Devem obedecer as leis de trânsito e etc. Esse é o deslocamento inicial. A etapa especial começa em São José dos Campos, por estradas de terra (trecho cronometrado). Depois há um deslocamento final até a praia de Copacabana.

O que é etapa Maratona: Criada para dar mais “emoção” à competição, a etapa Maratona proíbe que mecânicos e equipes de apoio façam a manutenção dos veículos no final do dia – tarefa reservada aos próprios pilotos e navegadores.

Essa etapa é a mais emocionante porque os participantes precisam saber poupar os veículos, peças e etc, já que não contarão com a ajuda dos mecânicos e grandes peças de reposição.

O rali é em um circuito fechado, como um autódromo?: O rali, na maioria das vezes, é feito em linha entre uma cidade e outra. Os pilotos param e dormem cada dia em um ponto. Mas algumas provas têm o formato de laço, com largada e chegada na mesma cidade. Essa é uma das alternativas para diminuição de custos para organização e competidores, já que não são feitos deslocamentos de toda a infraestrutura.

Como é definido o campeão: O rali tem a Geral, entre todos os competidores, e várias categorias, dependendo da preparação dos carros, motos, caminhões, quadriciclos e UTVs. O campeão do rali é determinado pela soma dos tempos das etapas especiais. Quem fez todo o rali em menor tempo é o campeão.

Rally dos Sertões em números:

– A prova terá 2.608,98 quilômetros de percurso total
– 1.572,32 quilômetros de especiais (trechos cronometrados)
– Sete etapas e sete cidades: Goiânia, Caldas Novas e Catalão, em Goiás, e Paracatu, São Francisco, Diamantina e Belo Horizonte, em Minas Gerais
– 126 equipes (motos, quadris, UTVs, carros e caminhões)
– 198 competidores: 39 nas motos, 17 nos quadris, 42 nos UTVs, 86 nos carros e 14 nos caminhões
– Pilotos de dez países: Brasil, África do Sul, Argentina, Chile, Espanha, França, Polônia, Portugal, Reino Unido e Uruguai

Lista de inscritos em todas as categorias
http://www.vipcomm.com.br/cliente/honda/noticia/27537

Confira o roteiro detalhado
http://www.vipcomm.com.br/cliente/honda/noticia/27536

Fotos Jean Azevedo:
http://www.vipcomm.com.br/buscar/fotos/Jean%20Azevedo

Fotos Nielsen:
http://www.vipcomm.com.br/buscar/fotos/Nielsen%20Bueno

Fotos Bissinho:
http://www.vipcomm.com.br/buscar/fotos/Bissinho

Fotos Dário Júlio:
http://www.vipcomm.com.br/buscar/fotos/D%C3%A1rio%20Julio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *