Fórmula 1 – A Williams tem dois carros diferentes na garagem?

Robert Kubica voltou à Fórmula 1 em 2019, para correr com a Williams.

Será que estar lutando no final da tabela, e a cerca de 2 segundos do segundo carro mais lento valeu a pena para o piloto polonês? Pior que isso, a equipe não parece conseguir resolver nada, tem ocorrido pouquíssimos progressos e talvez o sonho de retorno á Fórmula 1 esteja se tornando num verdadeiro pesadelo:

“Por qualquer razão, desde que conduzi os carros da nova geração, tive de trabalhar no meu ritmo de uma volta, mas nas simulações de corrida fui sempre muito bem. Desde que conduzi este carro [Williams], o ritmo não está lá, e a sensação é muito pior do que alguma vez tive. Não tenho aderência, não vem tempo, nada. Nem posso fazer o que o George [Russell] faz, é muito estranho. Eu tentei mesmo tudo… mas esta muito difícil”

Com estas afirmações só se consegue tirar uma conclusão: o equipamento de Kubica é diferente do equipamento de George Russell. Também sabemos, por Kubica, que até as peças sobresselentes são escassas.

É Williams até quando vocês continuarão manchando a linda história de vitórias e conquistas, pois não é possível uma fábrica como vocês possuem em Grove com uma excelente estrutura consegue deixar seus pilotos desta forma no grid da fórmula 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *