Em sábado de gala, Shell Racing triunfa no Brasileiro de kart, arrebata etapa da Sprint Race e brilha na F4 Alemã.

Com quatro representantes em três pistas diferentes, a Academia Shell Racing teve um sábado memorável, com título no kart, domínio total da etapa de Londrina na Sprint Race e uma grande na F4 Alemã. Todos os resultados foram fruto de pilotos lançados pioneiro programa de desenvolvimento da Shell.

Felipe Baptista encerrou o Brasileiro de Kart como campeão da categoria Graduados e ganhou o direito de competir uma prova da Sprint Race. Nesta mesma Sprint Race, Diego Ramos reinou em Londrina com o carro da Shell, com poles e vitórias de ponta a ponta. Já em Hockenheim, Gianluca Petecof escalou o pelotão para terminar em sexto a primeira corrida da F4 Alemã.

Os três integram há mais de um ano a Academia Shell. Além deles, Gaetano di Mauro e Gabriel Crepaldi também foram protagonistas nas finais do Brasileiro de Kart.

 

Kart

O ponto alto do fim de semana foi o título conquistado pelo jovem Felipe Baptista, de 15 anos. Pela categoria Graduados, o piloto teve grande desempenho desde o início das qualificatórias. Vencedor da pré-final e líder durante praticamente toda a prova decisiva, o desempenho foi excelente. Com muita maturidade, o campeão enfrentou muitos atletas experientes. Mesmo assim, teve tranquilidade para fechar a prova com grande diferença para o segundo colocado.

Foi o primeiro título da promessa na categoria, uma das mais importantes do kartismo. A evolução e maturidade do jovem piloto foram umas das atrações do Brasileiro de Kart, que vem sendo trabalhado para subir os degraus do automobilismo gradativamente – reafirmando o compromisso da Shell com o desenvolvimento do esporte a motor no Brasil. Como prêmio, além do título, Felipe ganhou uma vaga na próxima Sprint Race.

Gaetano di Mauro foi outro representante da Shell na categoria. Após alguns problemas com o carro nas qualificatórias, Gaetano evoluiu na pista e fez boa final. Largando em oitavo, o piloto chegou a ocupar a quarta posição, depois de algumas ultrapassagens. No final, o sexto lugar não foi considerado ruim por ele, já que o piloto não competia na categoria há quatro anos.

Gabriel Crepaldi, que deu show na primeira fase do Brasileiro conquistando o título da Júnior, mais uma vez mostrou muita regularidade na pista – terminou no terceiro lugar. Crepaldi ficou entre a segunda e terceira posições durante a semana. Na final, travou bela disputa com João Matos.

Felipe Baptista também disputou a categoria Internacional OK. Após largar na quarta posição, o piloto teve alguns problemas durante a prova, e terminou no oitavo lugar. Mesmo assim, foi um dos destaques da disputa com algumas ultrapassagens arrojadas.

 

O que eles disseram:

“Foi um fim de semana quase perfeito. Na Graduados, tudo foi perfeito desde o início. Ganhar nessa categoria, contra pilotos várias vezes campeões, é muito bacana e de bastante alegria. É um passo importante levar um título desse nível. Agora é comemorar bastante”.

Felipe Baptista

 

“Pra mim, essa etapa do Brasileiro foi bem positiva. Consegui me manter entre os primeiros sempre. Infelizmente, na final, o líder abriu muito. Tentamos fazer o que dava, mas não alcançamos o primeiro lugar. Agora é focar nas próximas disputas”.

Gabriel Crepaldi

 

“Tive pouco tempo para a corrida e alguns problema com o motor. Porém, foi uma experiência muito boa. Fazia quatro anos que não disputava essa categoria, aí agora disputei com pessoas que andam sempre nela. Mas foi um bom sexto lugar”.

Gaetano di Mauro

 

“Mais do que um fim de semana importante, é a demonstração de um projeto que vem sendo bem lapidado. No ano passado, foram três títulos brasileiros. Em 2018, tivemos chances reais de quatro títulos na primeira fase. Agora, novamente fizemos um bom fim de semana no quesito perfomance, com vitórias. Mais do que um campeonato, é a imagem do projeto se fortalecendo. Estamos entregando o que se tem de mais valioso no automobilismo brasileiro, que é o talento. Estamos fazendo isso. Queremos que apareçam novos pilotos e títulos. É importante representar uma marca tão tradicional no automoblismo. Temos o talento nato do brasileiro na modalidade. A equipe da Shell Racing está de parabéns. É uma satisfação e honra liderar esse projeto que já vem gerando frutos. Mostrar que é possível mostrar talentos anualmente”.

Vicente Sfeir, gerente de motorsport da Raízen

 

Sprint Race

Pela quarta etapa da Sprint Race, no autódromo internacional Ayrton Senna, em Londrina, Diego Ramos mostrou estar cada vez mais adaptado as corridas de carros. Disputando a categoria PRO, o piloto da Academia Shell cravou a pole position para as duas provas do dia e conquistou as duas primeiras vitórias na categoria.

Na primeira corrida, Diego não deu chances para seus adversários. Manteve a primeira posição e abriu uma confortável vantagem para o segundo colocado. Nem mesmo a entrada do carro de segurança, na segunda volta, atrapalhou o desempenho do piloto do carro #113. Após a relargada, no sétimo giro, Diego manteve a concentração, abriu novamente uma boa vantagem e venceu a primeira corrida do dia, de ponta a ponta, com a melhor volta da prova.

Na segunda corrida, o piloto de 16 anos teve de enfrentar um novo desafio: correr a noite. E Ramos se saiu muito bem. O piloto da Academia Shell fez outra boa largada, mantendo a primeira posição e abrindo quase quatro segundos de vantagem para o segundo colocado. Na metade final da prova, Diego apenas administrou a distância e não teve dificuldades para vencer mais uma vez de ponta a ponta, somando pontos importantes para o campeonato.

 

O que ele disse:

“Foi um fim de semana excelente. Conseguimos liderar os treinos, fazer duas poles e vencer as duas corridas. Correr a noite foi uma experiência inexplicável, é muito difícil. Graças a Deus deu tudo certo e conseguimos levar a Academia Shell Racing pro lugar mais alto do pódio e somar bons pontos para o campeonato”.

Diego Ramos

 

F4 Alemã

Pela Fórmula 4 Alemã, Gianluca Petecof obteve a sexta colocação na primeira corrida da rodada de Hockenheim. O brasileiro conseguiu uma bela prova de recuperação após problemas de estratégia na classificação debaixo de chuva e largar no meio do pelotão.

Na corrida realizada com pista seca, o piloto da Academia Shell Racing conseguiu uma largada perfeita e um ritmo forte, ganhou posições até atingir a sexta posição no geral, segundo entre os estreantes na categoria.

Neste domingo, Petecof volta à pista a partir das 5h10 (de Brasília) para a segunda corrida do fim de semana, e vai largar da décima colocação, já dentro da zona de pontuação. Aprova será transmitida ao vivo pelo site oficial da competição (https://www.adac-motorsport.de/adac-formel-4).

O que ele disse:

“A corrida foi ótima, depois de um qualifying bem confuso. Tanto eu como a equipe não tomamos as melhores decisões, e acabamos optando tanto pela pressão de pneus como o horário de ir para a pista errados. Mas conseguimos salvar bem essa primeira corrida. Com algumas punições, largamos da 14ª posição, fiz uma ótima largada e primeira volta. Pude vir com um ritmo forte no decorrer da corrida e terminar na sexta posição. Uma pena que o primeiro rookie acabou largando um pouco mais à frente e dando um espaço grande no começo, mas eu estava com um ritmo mais forte e poderia brigar com ele. Agora é focar em amanhã, tentar aproveitar a melhor posição de largada, em décimo, e fechar o fim de semana com chave de ouro. O ritmo está melhor do que na outra vez em que viemos para cá”

Gianluca Petecof

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *