Avaliação da Semana – Range Rover Vogue o luxo em sua plenitude!!!

Bem amigos da Veloxtv, devido á grande visualização e solicitação de muitas pessoas, reapresentaremos a matéria de avaliação do Land Rover Vogue efetuada em Dezembro de 2015.

 

Efetuamos a apresentação de forma diferenciada, onde iniciamos um trabalho dividido em 3 partes; sendo a primeira parte com as informações técnicas, aspectos importantes do veículo, seus atributos, nossa avaliação e por fim a ficha técnica. A segunda parte é constituída pelas melhores imagens do período que ficamos com o veículo em diversos locais e pontos já em formato de vídeo. A última e terceira parte é feita pela composição dos vídeos gerados na apresentação do veículo e no caso da Range Rover Vogue apresentamos o luxo em sua plenitude.

 

A seguir apresentamos a primeira parte de nossa avaliação; vejam a que ponto a Range Rover Vogue atinge seu público alvo, a classe Premium.

_MG_2696

Primeiras impressões

O Range Rover Vogue é o “apogeu do luxo”; o veículo tem interior de primeira classe de avião.

Luxuoso como um Rolls Royce e quase tão espaçoso como uma sala de estar, o utilitário esportivo oferece conforto e requinte imbatíveis em seu segmento. E embora pese consideráveis 2.255 kg, seu motor 5.0 V8 Supercharged, cujo trabalho é realizado em conjunto com o câmbio automático de 8 marchas e o sistema de tração integral, são capazes de  acelerá-lo de 0 a 100 km/h em 5s3. Luxo, conforto, amplo espaço interno e desempenho de tirar o fôlego? Sim, ele faz o improvável: reúne tudo em um lugar só.

Em nossa visão é a união perfeita entre o requinte, a sofisticação e a capacidade.

_MG_2794

Visual – Parte Externa

O Range Rover Vogue apresenta um visual sofisticado, que obviamente chama bastante atenção das pessoas na rua. A frente com faróis bi-xênon e LEDs diurnos, bem como grade prateada com logotipo Land Rover negro, assim como para-choque de perfil mais agressivo e dotado de LEDs em função neblina impressiona.

O nome Range Rover sobre o capô reforça a personalidade do grande SUV de luxo, assim como as grades prateadas sobre o capô e as saídas laterais de mesma tonalidade nos para-lamas.

O modelo ainda traz características que remetem ao primeiro Range Rover produzido em 1970, que uniu a inigualável capacidade da Land Rover em produzir veículos que trafegam com desenvoltura em todos os tipos de terrenos, com a sofisticação e o conforto existentes até então nos sedãs de luxo.

Detalhe interessante são os vidros laterais traseiros que possuem desembaçamento elétrico As colunas são pintadas de preto brilhante e as portas possuem sistema de pressão, que suga a borracha quando se encosta a porta levemente.

_MG_2764

E trouxe alguns elementos do modelo menor, como os faróis e lanternas espichados. Porém, manteve o desenho “quadradão” que marca o utilitário há mais 43 anos. Até porque, a clientela inclui até a família real britânica. Não dá mesmo para deixar de lado as tradições.

As laterais do modelo apresentam poucos vincos e tem maçanetas na cor do carro, assim como os retrovisores, que possuem basculamento elétrico, repetidores de direção e espelhos eletrocrômicos com aquecimento.

Á noite quando acionada a abertura de porta do motorista e do passageiro acende-se uma luz de solo com projeção do nome Range Rover e os estribos laterais movimentam-se lateralmente para que os passageiros subam ao veículo com um maior conforto.

Parte Interna

Em um veículo certas coisas são mandatórias, e disso o Vogue entende bem. Estão lá o revestimento em couro do tipo mais nobre, materiais muito bem selecionados para o acabamento de painel e console central, além de muitos equipamentos de conforto, comodidade e segurança.

Range-Rover-Vogue-interio

Conforto – O Range Rover é realmente um carro único. O acerto de suspensão é extremamente suave e o faz “flutuar” sobre o asfalto. Nem o castigado piso brasileiro interfere no conforto superlativo. O isolamento acústico é excelente e transforma a cabine em uma catedral, tamanho o silêncio a bordo. Os bancos completam o “pacote primeira classe” do utilitário, com ótimos apoios, ajustes para todas as direções e, para motorista e passageiro, massageador.

Seus bancos, por exemplo, podem ventilar, aquecer e massagear. Os passageiros do banco traseiro podem assistir seu DVD preferido em telas individuais e, para o motorista, não faltam recursos de conveniência, tais como assistente de estacionamento, câmeras para visão periférica, cruise control adaptativo, dentre outros. Abrir e fechar a tampa do porta-malas, assim como rebater os bancos traseiros, tudo é feito por meio de mecanismos elétricos.

Na dianteira, as poltronas (tamanho é seu conforto) abrigam motorista e passageiro com habilidade ímpar. Quem dá partida e seleciona Drive em seu câmbio de 8 marchas, logo sente a responsabilidade de mover as mais de 2 toneladas deste modelo que praticamente foi um dos criadores do segmento dos SUVs (Sport Utility Vehicle).

O Range Rover Vogue pode andar rápido, muito rápido, se você quiser (confira ficha técnica e de medições abaixo), mas lhe oferece a segurança de um sistema de freio condizente com seu porte. Ele transmite muita segurança, mas, pelo menos em minha opinião, não é para você atacar curvas como se estivesse em um cupê ou sedã esportivo.

comandos-01 comandos-02 L494_15_INT_DET53_oa_2_296-108157_500x330

São vários os itens em destaque:

  • Sistemas de som surround Meridian exclusivos
  • Telas ? alta resolução e última geração em tecnologia, com painel de instrumentos digital de 12” e uma central touch screen central 8” com funcionalidade Dual-View (o passageiro pode assistir um filme, sem que o condutor veja)
  • Comandos por voz e conectividade ? pacote de conectividade para dispositivos móveis
  • Controle de clima ? o novo sistema independente de quatro zonas
  • Assentos luxuosos ? assentos melhorados com novas características de luxo como modo massagem
  • Iluminação interior ? última geração de LED para iluminação, inclusive com capacidade de mudar o esquema de cores para criar ambientes diferentes

 

Nos chamou a atenção o conforto que o Ranger Rover Vogue oferece ao motorista e ocupantes, pois tem muito espaço. O isolamento acústico, também merece destaque, Quem entrar no carro ligado sem observar qual é a motorização, só irá descobrir depois lendo no documento.

O piloto automático permite ao condutor definir a velocidade e a distância do veículo da frente e apenas cuidar da direção. Mima o condutor com o massageador das costas acoplado ao banco, além de manter sua água, suco ou refrigerante na temperatura ideal na geladeira.

O que destacamos também é uma interpretação moderna de um ícone do design contemporâneo”. Acrescentaria: é um automóvel que ninguém confundirá com qualquer outra coisa que não seja um Range; e serão raríssimos os que conseguirão ficar indiferentes à sua passagem; não ficaram apenas observando quiseram ver o veículo mais próximo e saber mais sobre o mesmo.

A posição do motorista permite desfrutar de uma ampla panorâmica em toda a volta da carroçaria, sendo a visibilidade em todas as direções um trunfo de peso num automóvel com cinco metros de comprimento por quase dois de largura, em muito facilitando a sua condução em meio urbano. A partir do lugar mais apetecido a bordo também noto a evolução registada em termos de ergonomia (notável, o facto de metade dos interruptores da anterior geração ter sido suprimida) e a excelente dotação de equipamento de série (não que isso signifique que não seja sempre possível gastar mais qualquer coisa.

Pressionado o botão que dá arranque ao motor, sou brindado com o delicioso botão circular de comando da caixa, que se eleva automaticamente quando se ativa a ignição. Os primeiros quilômetros são percorridos em meio urbano, e desde logo fico rendido ao extremo conforto, à grande disponibilidade do motor, ao soberbo isolamento do habitáculo.

O volante em couro tem comandos satélites para controle de cruzeiro adaptativo, que regula a distância de frenagem para o veículo à frente e controles de mídia e telefonia do outro lado. Na parte inferior, aplique em alumínio. Os paddle shifts estão bem posicionados e podem ser usados em D ou S.

As hastes possuem comandos dos faróis e limpadores, bem como botões para acesso ao trip e computador de bordo. A coluna de direção é elétrica e funciona também em conjunto com as memórias do banco do condutor. O quadro de instrumentos é uma tela TFT de 12,3 polegadas.

 

Ela apresenta dois grandes mostradores analógicos virtuais com níveis de combustível e temperatura da água, bem como amplia o espaço central quando os modos de terreno do TerrainResponse2 são ativados. Reproduz informações de mídia, telefonia, navegação, entre outros. No modo Sport, as marchas são mostradas em visualização estilizada.

 

Na parte central, um display multimídia sensível ao toque se destaca. No entanto, ele não apresenta modo de visualização dupla e nem câmera de ré com visão vertical, bem como imagens laterais. Isso só será encontrado em versões mais caras. Mesmo assim, oferece um conjunto bastante completo de funcionalidades, incluindo HD interno.

painel-02

Reproduz DVD, CD, MP3, entre outros. Tem conexão Bluetooth e ainda dispõe de reprodução individual de mídias através de dois displays traseiros (nos apoios de cabeça dianteiros), bem como dois fones de ouvido sem fio. Além disso, vem com sistema de som Meridian Surround com 19 alto-falantes e 825 watts.

A central multimídia reproduz os modos do TerrainResponse2 e visualização virtual do assistente para estacionamento, bem como navegador GPS, ventilação interna e outras funcionalidades. O entretenimento a bordo oferece também um controle remoto para os passageiros de trás.

Todo o acabamento da base da pequena alavanca de marchas é feito em alumínio. Logo depois há o comando do TerrainResponse2, que vem com as funções Auto, Areia, Grama/Cascalho/Neve, Lama/Buracos e Pedras, bem como HDC (controle de descida) e controle de subida de rocha. Ainda há comandos de limitador de velocidade, desligamento do controle de tração e regulagem de altura da suspensão, que é pneumática.

Ao lado, porta-copos com tampa, fonte 12V/isqueiro e cinzeiro móvel. Entre os bancos, apoio de braço central em couro e sob a tampa, um porta-objetos móvel e porta-documentos. Há também entradas USB, auxiliar e mais uma fonte 12V.

Interatividade

A quantidade de “gadgets” é quase interminável. O painel de instrumentos na verdade é uma tela de LCD, bem informativa e que se adapta à situação – no off-road, por exemplo, valoriza o conta-giros e mostra o que cada roda está fazendo. O sistema de entretenimento é completo, com TV, DVD e função Dual View – em que motorista e passageiro veem imagens diferentes no mesmo monitor simulteaneamente. O software, no entanto, é exessivamente exigido e, volta e meia, dá uma “travada”. A visibilidade é boa pela altura generosa. Cinco câmaras espalhadas no entorno ajudam a monitorar os pontos cegos o portentoso jipe britânico.

Habitabilidade

Apesar da evidente preocupação com a elegância e o acabamento, a Land Rover não se esqueceu da praticidade. Há “esconderijos” para todo tipo de objeto. A altura dificulta a entrada, mas não de forma crítica. O porta-malas mantém a clássica abertura em duas partes e leva generosos 908 litros de bagagem

Acabamento 

O acabamento do Range Rover é quase obsceno. Para todo lugar que se olhe, existe couro, madeira ou alumínio. Não há uso de qualquer material que não agrade. A troca de geração ainda sofreu uma bem-vinda modernização visual. O SUV ficou mais “clean”, com menos botões

Design 

O Range Rover nunca se propôs a ser um utilitário desesperadamente bonito. A ideia é muito mais de ser um jipe clássico e imponente. O modelo atual tenta mesclar o tradicionalismo com uma pitada de modernidade, herdada do bem-sucedido Evoque. É uma mistura que, sem dúvida, o deixou mais atraente.

Tecnologia

O Range Rover evoluiu profundamente em termos construtivos nesta troca de geração. A nova arquitetura, em monobloco e toda em alumínio, deixou o carro muito mais leve e com maior rigidez torcional. Consequentemente, mais confortável, ágil e econômico. O “recheio” também melhorou. O sistema Terrain Response, que auxilia no fora-de-estrada, ganhou um modo automático. O arsenal tecnológicos continua repleto, com direito a tela Dual View, assistente de estacionamento, TV/DVD, etc. O trem de força também impressiona. O motor V8 diesel é avassalador e a transmissão de oito marchas, competentíssima.

Parte Externa

Consumo

Pode parecer um absurdo o que vou falar, mas seu consumo não deve ser visto como ruim quando analisado em perspectiva. Explico. Em nossos testes ele registrou médias de 5,8 km/l em ciclo urbano e 10,7 km/l no percurso rodoviário. Para você ter uma ideia, a recém-chegada nova geração do Hyundai Santa Fe obteve, que tem pouco mais da metade da potência do Vogue, obteve na mesma avaliação as parciais de 6,3 km/l e 12,4 km/l, respectivamente. Se o Range Rover contasse com start-stop, tecnologia que desliga o motor quando o veículo encontra-se parado, seu rendimento seria bem mais interessante.

Estabilidade

É óbvio que o Range Rover  Vogue nunca será um esportivo puro. Afinal, é imenso, pesado e voltado para o conforto. Mesmo assim, é impressionante a maneira como o SUV se comporta quando posto frente a uma sequência de curvas. É nítido o ganho em agilidade em relação à geração anterior. O carro está mais responsivo e briga menos com o motorista para mudar de direção. Não dá para sair por aí, descendo a serra como em um cupê ou um sedã, mas o ganho em dirigibilidade faz com que o Range Rover inspire uma enorme confiança em quem está ao volante.

Custo/benefício

O custo é alto. Extremamente alto. Só que o benefício também é desproporcional. A atual geração do utilitário atingiu um patamar de refinamento que nenhum outro SUV chega perto. O novo modelo também se tornou um veículo mais rápido, ágil e fácil de guiar.

Transmissão

Câmbio automático com oito marchas à frente e uma a ré, com acionamento manual através de alavancas atrás do volante. Tração permanente nas quatro rodas com diferencial central e traseiro blocantes. Oferece controle eletrônico de tração.

Motor

Escrever sobre o motor é uma coisa.  Senti-lo, é outra.  Além de ser um motor que aguenta subidas íngremes com o carro cheio, ele também te dá prazer e satisfação, quando você o chama pelo acelerador.  E impressionante é que, mesmo rodando a 180 km/h, ele é tão macio e silencioso que parece que você está a 80.  A velocidade máxima declarada é de 250 km/h.  O câmbio ZF 8HP70 automático de oito velocidades com opção para trocas sequenciais no volante é preciso e rápido.

Aparência Perfeita

Para uma aparência perfeita, o exterior do novo Range Rover Vogue apresenta uma grade frontal imponente, que combina as cores Dark Atlas e Atlas, assim como o para-choque dianteiro, aberturas de ventilação e maçanetas das portas na cor do veículo, além de rodas de liga leve de 20 polegadas de série. Uma grande variedade de cores internas e pinturas externas que permitem personalização.  O interior é forrado em couro Oxford, os bancos do motorista e passageiro dianteiro são automatizados, e o assento do motorista conta com memória de posição. Os bancos traseiros e dianteiros são aquecidos para promover conforto adicional.  A experiência de sofisticação é realçada pelo sistema de som Meridian* de última geração, que proporciona uma qualidade de som impressionante, com 380W.

É amigos, fechamos essa excelente matéria da melhor forma possível e claro indicamos aos interessados em adquirir um veículo deste porte, comparecerem á uma concessionária da Land Rover no Brasil; que o atendimento será diferenciado e exclusivo; mais um ponto forte da marca em fidelizar seu cliente e o admirador da marca.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *