Átila Abreu elogia novo sistema de pontos da Stock Car, menos o da corrida de duplas.

A temporada 2016 da Stock Car começa neste fim de semana em Curitiba com um novo modelo de pontuação. Agora, as três primeiras posições nas rodadas duplas valem mais –uma tentativa da organização de fazer os pilotos mais velozes lutarem pelo triunfo na prova longa em vez de administrar posições no top5 das duas baterias e sair do fim de semana como maiores pontuadores, mas sem o troféu de primeiro lugar. Outra novidade é a redução dos pontos da corrida de duplas, que neste domingo dará seis tentos ao carro vencedor.

 

Para Átila Abreu, competidor do Chevrolet #51, que neste ano passa a ser preparado pela Shell Racing, a primeira mudança foi positiva, enquanto a desvalorização da prova de duplas (conferia 12 pontos aos vencedores anteriormente) não.

 

“Gostei bastante do novo sistema de pontos. O maior valor para os três primeiros é interessante porque volta a obrigar a focar na primeira corrida, então o mais rápido, o carro com melhor desempenho tende a ser o vencedor e o que mais pontos leva no fim de semana –algo que nem sempre acontecia no sistema anterior, quando poderia não ser vantajoso batalhar para vencer a primeira corrida”, avaliou o competidor sorocabano.

 

Mas…

“Quanto à corrida de duplas valer poucos pontos eu não gostei. É uma corrida festiva e ok valer menos pontos, mas para competidores como eu e outros que investimos trazendo pilotos de renome acabam tendo o esforço desvalorizado. Acho que deveria valer mais pontos, para todas as equipe de fato buscarem trazer grandes nomes internacionais”, ressalvou Átila, que novamente compete em dupla com Nelsinho Piquet, campeão mundial da FIA Fórmula E.

 

“Neste ano, com a restrição de pneus, se você não estiver muito na briga pelas seis primeiras posições põe em questionamento quanto vale a pena dar sequência na corrida ou salvar o pneu para o resto do campeonato, que realmente começa na segunda etapa”, observou.

 

Depois de acelerar pela primeira vez o bólido da Shell Racing, no shakedown desta quarta-feira, ele comentou ainda a possibilidade de esta ser a última passagem da Stock Car pela capital paranaense –diante da possível venda do terreno do autódromo para construção de outro empreendimento imobiliário no segundo semestre.

 

“É uma pista que sempre me trouxe boas lembranças, foi a primeira onde andei de Fórmula, na F-Chevrolet em 2002. Então é uma pista que tem um significado muito grande para mim, tive duas vitórias, duas poles. Bons momentos marcantes aqui. No ano passado perdi uma corrida também aqui que caminhava para vitória, mas queimou a luz de freio… Então, claro, quando o piloto tem uma história na pista ele quer mais é acabar o ciclo de forma positiva. Vamos deixar para pensar na despedida depois de domingo, até lá quero manter o foco para desfrutar ao máximo do circuito e começar o campeonato com o pé direito.”

 

Nesta quinta-feira voltam à pista os pilotos titulares. Na sexta é dia de os convidados acelerarem. A tomada de tempo acontece às 12h de sábado, com a somatória dos tempos das melhores voltas de titular e convidado. No domingo, a largada está marcada para 12h30. Quali e corrida terão transmissão ao vivo dos canais Sportv

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *