Smarttech participa de projeto de caracterização de borrachas da Hutchinson Brasil Automotive.

Objetivo é conhecer melhor as propriedades desse tipo de material complexo, como medição de deformações para desenvolvimento de novos produtos.

 

A Smarttech está à frente do projeto de caracterização de borrachas (elastômeros) da Hutchinson Brasil Automotive divisão Anti-vibratórios, reconhecida pela expertise na indústria aeroespacial e automotiva. Fabricante de autopeças de borracha, a Hutchinson quer conhecer melhor as propriedades dos elastômeros, considerados complexos, para desenvolver novos produtos.

Para a medição das propriedades da borracha a Smarttech realizou em seu laboratório, em Holambra, simulações virtuais por meio do software Abaqus e Isight, que permite análise segura para amostras de valor e características reais do produto e confrontar com o modelo virtual.

“O software permite correlacionar teste físico com a simulação de um modelo. A vantagem é que as simulações são 95% confiáveis”, explica Mariana Batista, engenheira da Smarttech, ao acrescentar que a previsibilidade de fracasso ou sucesso do material é importante na verificação de sistemas de alta confiança, como o de turbinas a jato ou freios automotores, e também no caso específico de coxins de motor e buchas de suspensão de automóveis.

Tadeu Monteiro Massaro, engenheiro e coordenador de Design da Hutchinson, elogia o Abaqus e o Isight. “A partir de um modelo do Abaqus, por exemplo, se eu tenho uma dureza conhecida posso confrontar os valores dos testes físicos e do modelo e com o Isight obter os coeficientes do modelo matemático mais representativo para a borracha. Para este primeiro momento estamos usando um composto e seus resultados, onde a simulação tem se mostrado muito satisfatória”, afirma.

Massaro diz que a empresa está em processo constante de inovação para atender à demanda da indústria automobilística. “Atualmente diminui-se o peso dos veículos para redução das emissões de poluentes, reduz-se também a quantidade de combustível consumido. Com o “downsizing” o espaço para troca térmica no cofre do motor exige a redução do tamanho da peça em si, além do que a borracha não pode trabalhar com temperaturas elevadas. Por isso, os testes são necessários e nos auxiliam em atingir estas metas”, conclui.

Através do Abaqus a Smarttech fez os cálculos sobre o modelo. “Essa tecnologia permite, por exemplo, que um corpo de prova de borracha seja deformado e verifica-se a força necessária, obtendo-se uma curva de força x deslocamento. A Smarttech tem dado total suporte nesse sentido”, destaca Massaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *