Os clássicos do país estiveram em Minas Gerais para mais um “Encontro Nacional”.

A cada dois anos, no feriado de Corpus Christi, o pátio do Grande Hotel, em Araxá (MG), é tomado por alguns dos mais belos carros clássicos do Brasil, seus proprietários e fãs. Assim é o Encontro Nacional de Automóveis Antigos, cuja 21ª edição terminou no sábado.

Com 300 modelos em exibição, o evento sofreu com a concorrência da mostra de Águas de Lindoia (SP), o que reduziu o público. Ainda assim, a estimativa dos organizadores é de que cerca de 25 mil visitantes passaram pelo evento mineiro.

Menor também ficou a área destinada ao comércio de peças. Apesar disso, a qualidade dos carros expostos em Araxá continuou muito alta.

Não faltaram modelos mais “comuns”, como o Volkswagen Fusca e seus derivados. Mas foram os veículos feitos antes da Segunda Guerra Mundial (confira abaixo), como o Bugatti Stelvio Cabriolet 1938 – que levou o troféu Roberto Lee, de melhor carro do evento – os grandes destaques. Havia até uma miniatura, com motor de kart, do automóvel premiado.

 

A Ferrari 255 S Barchetta 1952, da qual só restaram cinco exemplares no mundo, recebeu o prêmio Hors Concours do evento. O carro já havia sido premiado no Encontro Paulista de Autos Antigos, em maio.

 

LEILÃO

Uma das atrações do encontro bienal é o leilão de antigos, que neste ano foi dividido em duas partes. Foram arrematados 45 veículos e a arrecadação chegou a R$ 1,6 milhão.

O modelo que obteve o lance mais alto foi uma Ferrari 380 GTSi, produzida em 1981. O esportivo italiano foi arrematado por R$ 250 mil. O menor valor foi para uma Lambreta 1967, vendida por R$ 11.500.

Merece destaque um Karmann-Ghia com mecânica de Porsche e 380 cv. O carro pertenceu a Nelson Piquet e traz a assinatura do piloto no capô. O maior lance foi de R$ 60 mil, abaixo do valor desejado.

encontro-1 encontro-2 encontro-3 encontro-4 encontro-5 encontro-6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *