Danilo Andric é o primeiro piloto anunciado pela M2B Racing no Moto 1000 GP.

Equipe do ABC Paulista toma parte do Brasileiro de Motovelocidade para disputar títulos das categorias GP 1000 e GP Light.

Em sua quarta temporada, o Moto 1000 GP acaba de confirmar mais um reforço nos grids de pelo menos duas categorias. A M2B Racing, equipe com sede em São Bernardo do Campo (SP) e chefiada por Marcelo Anastácio, está entre as confirmadas para as oito etapas de 2014, que vão colocar em disputa os títulos do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade – a primeira etapa terá suas provas em Santa Cruz do Sul (RS) no dia 4 de maio.

Um dos pilotos da M2B Racing na GP 1000, categoria principal do Moto 1000 GP, será Danilo Andric, de São Caetano do Sul. “Até cogitei trazer minha própria equipe para o campeonato, com mais pilotos, mas decidi focar na preparação, minha e do equipamento, para brigar pelo título”, afirma o piloto, dono de currículo vitorioso na motovelocidade. “Conheço a estrutura da equipe do Marcelo, sei que seremos competitivos”.

Com 18 anos de experiência na motovelocidade, Anastácio dedicou as últimas temporadas à prestação de serviços técnicos a equipes nacionais. “Eu venho trabalhando nesse projeto há dois anos e agora conseguimos formar o pacote ideal para que o projeto tenha início. Estou muito contente com a forma como as coisas têm acontecido”, afirma. “Já tive minha equipe própria, depois trabalhei em outras equipes, agora minha equipe voltou”.

A M2B Racing terá duas motos BMW S1000RR no grid da GP 1000. “O contrato assinado com o Danilo, que é um piloto do mais alto gabarito, traduz a nossa expectativa de figurar na disputa direta pelo título. Vamos ter mais uma moto na GP 1000 e o projeto é de também termos duas BMW na GP Light”, ele revela. “Estamos abertos e conversando com pilotos interessados em competir por uma equipe competitiva, a ideia é sempre a de buscar novos talentos”.

Marcelo Anastácio considera a possibilidade de rever o planejamento e, além das duas motos na GP 1000, inscrever uma na GP Light e outra na GP 600. “Tudo vai depender das metas dos pilotos com que vamos participar do campeonato. O Moto 1000 GP, além de ter os melhores pilotos, oferece regras muito claras. Existe uma igualdade, uma equalização que permite a todos os participantes uma condição favorável de vencer corridas”, considera.

Todas as motocicletas do Moto 1000 GP utilizam como combustível a gasolina Petrobras Podium e como lubrificante o Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da BMW Motorrad e da Michelin, que fornece seus pneus de competição às equipes. O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade tem apoio de Beta, BMW Serviços Financeiros, Servitec, LeoVince, Shoei, Tutto Moto, HPN, Denko, Airfence Brasil e Peterlongo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *