Exposição alusiva aos 20 anos do primeiro Porsche 911 com motor de refrigeração líquida foi uma das principais atrações do 55º Porsche Driving School, realizado no último final de semana.

A temporada 2017 do Porsche Club Brasil está chegando ao fim. No último final de semana, o Autódromo Internacional de Curitiba recebeu o 55º Porsche Driving School, penúltimo encontro do calendário deste ano. E não faltaram atrações para os convidados: exposições de carros clássicos, de modelos da linha atual e de miniaturas se juntaram às tradicionais ações na pista.

A exposição de Porsches clássicos contou com os modelos inscritos para o troféu Porsche Classic (o vencedor foi um 911 Carrera ano 1995) e uma exposição especial de modelos 911 da geração “996”, fabricada entre 1997 e 2005 e que introduziu os motores com refrigeração líquida na linha 911. Uma mudança que causou controvérsia na época (o motor refrigerado a ar era uma das principais características do 911 desde seu lançamento, em 1963), mas foi fundamental para o modelo continuar existindo até hoje ‒ e permanecer como objeto de desejo de praticamente qualquer pessoa que goste de automóveis. Além dos clássicos, foram expostas cerca de 25 miniaturas de Porsche, pertencentes ao colecionador Tell Araújo. Cinco de suas miniaturas, de diferentes escalas, eram idênticas ao carro mais raro da exposição: o único 911 GT3 RS “996” existente no Brasil.

Em Curitiba, a prova Flying Lap estava marcada para duas sessões, uma na sexta-feira e outra no sábado. Na sexta, durante todo o dia, o céu teve nuvens escuras e períodos de chuva leve. A água começou a cair forte exatamente no horário da Flying Lap, quando 14 concorrentes já haviam ido para a pista e completado suas voltas. A direção de prova suspendeu as atividades com bandeira vermelha (o regulamento do Porsche Club Brasil proíbe a realização da Flying Lap em pista molhada) e aguardou por uma melhora do clima enquanto foi possível. Quando ficou claro que não haveria tempo hábil para realizar a prova, a sessão foi cancelada.

As previsões meteorológicas, que indicavam ocorrência de chuvas também no sábado, não se confirmaram. Sob sol e calor, os participantes tiveram pista seca durante todo o dia. Antes da Flying Lap, foi realizada uma competição denominada Porsche Team Grand Prix, na qual os pilotos das equipes inscritas na Porsche Club Cup participaram de uma prova de regularidade de apenas uma volta. Cada piloto recebeu no grid de largada a média de velocidade que deveria ser cumprida em sua volta ‒ cada milésimo de km/h computado a mais ou a menos levou à perda de pontos. A vitória ficou com a equipe Handicap, com média de 3.550 pontos perdidos. Em seguida, todos os participantes disputaram a Flying Lap. Os resultados dessas duas provas fazem com que duas equipes, a Gulf e a Eagle’s Team, tenham possibilidades matemáticas de conquistar o título da Porsche Club Cup na etapa final, que acontecerá no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP).

O 55º Porsche Driving School teve apoio de Stuttgart Porsche, Pirelli, Banco Safra, Marsh Seguros, BSS Blindagens e Porto Seguro Auto Premium.

Sobre a Stuttgart Veículos

A Stuttgart Veículos iniciou suas operações como concessionária autorizada Porsche. Entre outubro de 1997 e junho de 2015, a empresa foi importadora oficial da marca alemã no Brasil. Nesse período, a Porsche aumentou significativamente sua presença no País. Desde 2015, a marca é representada pela Porsche Brasil, uma joint venture entre a Porsche AG e a Stuttgart Veículos. Atualmente, a Stuttgart Veículos opera sete concessionárias em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Florianópolis e Campinas.