A Lexus não pretende fabricar veículos plug-in híbridos. Em declarações ao Autoexpress durante o Salão De Frankfurt, Alain Uyttenhoven, diretor da Lexus para a Europa, afirmou que a marca de luxo japonesa deixará a produção de veículos híbridos para a Toyota. O executivo justifica a sua posição dizendo que tecnologia plug-in híbrida é mais um remendo de que propriamente uma verdadeira solução para um problema real. A Lexus concentra-se então no desenvolvimento de veículos totalmente elétricos.

Esta perspectiva está relacionada, em parte, com a criação de regulamentações europeias de proteção ambiental cada vezes mais exigentes. Eventualmente, os híbridos atuais da Lexus não serão suficientemente ecológicos. “Em breve teremos que atingir emissões de CO2 de 75 g/km, nessa altura a tecnologia híbrida não servirá,” disse Uyttenhoven. “As únicas decisões que podemos tomar resumem-se à introdução de veículos plug-in ou 100% elétricos.” A Lexus prefere desenvolver automóveis completamente elétricos. “Não precisamos de ter veículos plug-in. É um mercado de remendo. Atingiremos os níveis de emissões exigidos sem eles,” concluiu Uyttenhoven.

A decisão estratégica da Lexus provavelmente implicará, numa fase inicial, oferecer versões eléctricas e fuel cell dos seus modelos mais caros enquanto os engenheiros tentam reduzir os custos de produção de veículos totalmente elétricos. Na Europa, os veículos elétricos que mais vendem são os topo-de-gama. Mas no mercado premium, 50% dos veículos são vendidos abaixo dos 40.000 Euros, se um automóvel for comercializado acima desse valor, muitas pessoas não o poderão adquirir.