Pirelli Scorpion MX 32™ está perto de conquistar seu 62º título do Campeonato Mundial de Motocross FIM

A CINCO CORRIDAS DO FIM DA TEMPORADA, TONY CAIROLI LIDERA TRÊS OUTROS PILOTOS DAPIRELLI NO TOPO DA MXGP

JEFFREY HERLINGS SE APROXIMA DE OUTRO TÍTULO DO MX2

O Campeonato Mundial de Motocross FIM viu mais uma rodada de sucesso para a Pirelli e seus pneus SCORPION MX 32™, tanto na classe MXGP quanto na MX2, com a disputa da 12ª rodada da temporada, realizada em Uddevalla, no Grande Prêmio da Suécia.

 

Com os resultados deste fim de semana, a Pirelli acumulou, até agora, 60 títulos da FIM e têm mostrado comprovadamente, ao longo dos anos, o resultado de sua consistência, qualidade e desempenho no Campeonato Mundial de Motocross FIM. Desde 2010, os pneus Pirelli Scorpion MX 32™ conquistaram oito campeonatos, incluindo os quatro vencidos por Tony Cairoli, na classe MX1, e dois por Jeffrey Herlings, na MX2, em parceria com a KTM, além de outros dois graças a Ken Roczen e Marvin Musquin.

 

As raízes da Pirelli no Mundial de Motocross FIM, na verdade, remetem à longínqua temporada de 1980. Desde aquela época, a parceria da marca com o campeonato prosperou graças a nomes como André Malherbe, Georges Jobe e Harry Everts, pai do hexacampeão mundial e ex-piloto número 1 da Pirelli, Stefan Everts.

 

“O compromisso da Pirelli com os mais altos níveis de desempenho dos pneus em corridas foi o ponto de partida para o crescimento e a melhoria contínua dos nossos produtos fora-de-estrada”, disse Giorgio Barbier, diretor de Moto Racing da Pirelli. “Tanto o SCORPION MX 32™ quanto seu antecessor, o MT 32™, formam a maior história de sucesso no motocross competitivo. Na esteira desse sucesso obtido ao longo dos anos, temos a capacidade de manter um elevado nível de serviço e suporte aos atuais pilotos de ponta, graças ao trabalho desenvolvido pelo coordenador Roberto Sanzone que tem uma forte experiência em corridas, tendo trabalhado para anteriormente com a Pirelli tanto em automobilismo quanto no Mundial de Superbike. A qualidade do serviço e do produto oferecido é um dos segredos do porquê a Pirelli foi escolhida pelos melhores pilotos e pelas equipes mais prestigiadas, por um período tão longo.”

 

Na Suécia, Antonio Cairoli teve a sua quarta vitória dupla na temporada, ao conquistar o 70º triunfo de sua carreira. O líder da MXGP pilotou sua KTM em um terreno completamente escorregadio e acidentado com pneus Pirelli SCORPION™ PRO na dianteira e, na traseira, com 32 MIDSOFT ambos de 120/90-19. Ele subiu no degrau mais alto do pódio à frente do piloto oficial de fábrica da Yamaha Jeremy Van Horebeek; o belga, competindo com SCORPION™ MX MIDSOFT 32F e MIDSOFT 32 chegou ao segundo lugar na tabela do campeonato. Com apenas um quarto lugar, Clement Desalle, o primeiro piloto da Suzuki marcou seu primeiro “DNF” da temporada, depois de uma forte queda no início da segunda corrida. Para completar um pódio totalmente de pilotos Pirelli, Suzuki Kevin Strijbos concluiu na 3ª colocação.

 

A configuração de pneus Pirelli Scorpion MX™ MIDSOFT 32F na roda dianteira e MIDSOFT 32 na traseira ficou claro na classe MX2, onde o líder do campeonato e atual campeão Jeffrey Herlings venceu novamente e segue invicto nesta temporada. Agora, ele tem uma vantagem de 135 pontos à frente do seu companheiro de equipe Jordi Tixier que terminou em segundo lugar, à frente do piloto da Honda Tim Gajser.

 

O mesmo resultado foi visto ainda na quinta rodada do campeonato da EMX300 Europeia, onde Samuele Bernardini superou Marco Maddii, enquanto Steven Clarke manteve a ponta na EMX250 Europeia.

 

A décima terceira rodada será disputada em Hyvinkää, válida pelo Grande Prémio da Finlândia, em 13 de julho.

Sobre a Pirelli

Com mais de 140 anos de tradição, a Pirelli é uma multinacional italiana consagrada na indústria de pneus, com 22 unidades industriais em 13 países e atividades comerciais em mais de 160 países nos cinco continentes. Na América Latina está presente com sete unidades produtivas, sendo cinco delas no Brasil, onde tem atuação industrial há 85 anos: Gravataí (RS), Campinas, Santo André e Sumaré (SP) e Feira de Santana (BA); além de uma na Argentina (Merlo), e outra na Venezuela (Guacara). A empresa emprega mais de 38 mil pessoas no mundo, sendo cerca de 14 mil na América Latina, das quais mais de 12 mil estão nas unidades brasileiras.

Em Sumaré, no Estado de São Paulo, está localizado o Campo Provas Pneus Pirelli, pioneiro na América Latina, que completou 25 anos em 2013 e compõe um dos mais importantes Centros de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa no mundo: o de Santo André. Com perfeita integração, em tempo real aos demais Centros que a empresa possui na Itália, Alemanha, Estados Unidos e Reino Unido, a unidade de estudos brasileira está capacitada a desenvolver, receber e aplicar as mais avançadas tecnologias na produção de pneus para uma gama completa de aplicações: caminhões e ônibus; automóveis e caminhonetas; tratores e implementos agrícolas; máquinas para uso fora de estrada; motocicletas; além de protetores, materiais para a reconstrução de pneus e cordas metálicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *