Pirelli F1: Conselho da FIA aprova as novas regras para os pneus para a temporada 2016.

Após encontro em Paris, ontem, o Conselho Esportivo de Automobilismo da Federação Internacional do Automóvel (FIA) aprovou as novas regras para o uso de pneus na temporada 2016 da Fórmula 1.

NOVAS REGRAS

  • As novas regras serão aplicáveis apenas para os pneus slicks. As normas referentes aos pneus intermediários e de chuva permanecem as mesmas.
  • Com a introdução do novo composto ultramacio (identificado pela cor roxa), agora o número de pneus slicks disponíveis chegou a cinco.

ESCOLHAS E PREPARAÇÕES PRÉ-CORRIDAS

  • Em conjunto com a FIA, a Pirelli decidirá, antecipadamente, quais os três compostos que poderão ser usados em cada corrida, e comunicarão às equipes.
  • O total de jogos de pneus que poderão ser usados durantes os treinos livres, classificatórios e corridas permanece o mesmo de atualmente: 13.
  • A Pirelli definirá quais serão os dois jogos obrigatórios para cada carro. Além disso, um jogo de composto mais macio deverá ser guardado para uso exclusivamente no Q3.
  • Os dois jogos obrigatórios escolhidos pela Pirelli podem ser de compostos diferentes, dos três que serão escolhidos para cada fim de semana de corrida. Estes jogos deverão ser idênticos para cada equipe.
  • Os 10 jogos restantes podem ser escolhidos por cada equipe, dentre os três compostos escolhidos pela Pirelli para os fins de semana de corrida.
  • As equipes deverão fazer as suas escolhas dentro de um prazo máximo definido pela Pirelli. Elas devem comunicar suas opções para a FIA, que informará a Pirelli quantos pneus deverão ser produzidos. As escolhas para cada carro serão mantidas em sigilo até duas semanas antes de cada corrida. Se alguma equipe não cumprir o prazo, a definição será feita pela FIA.
  • Uma vez que as escolhas para cada carro sejam feitas, a FIA continuará definindo aleatoriamente os pneus de cada equipe por meio do código de barras, como sempre foi feito.
  • As escolhas feitas pela equipe podem variar para cada um dos seus carros. Dessa maneira, os pilotos de um mesmo time podem usar compostos diferentes em uma corrida.
  • Os pneus serão identificados por suas diferentes marcações de cores nas laterais, como já ocorre atualmente.

DURANTE AS CORRIDAS

  • Como já é feito hoje, as equipes ainda deverão devolver os pneus dentro do período previsto na programação. Elas poderão decidir quais compostos serão devolvidos de acordo com os seguintes horários:

– Um jogo após os primeiros 40 minutos do Treino Livre 1

– Um jogo ao final do Treino Livre 1

– Dois jogos ao final do Treino Livre 2

– Dois jogos ao final do Treino Livre 3

  • Os dois jogos obrigatórios escolhidos pela Pirelli não poderão ser devolvidos durantes os treinos e deverão estar disponíveis para uso durante a corrida. Ao menos um destes jogos de pneus deverá ser usado durante a corrida – mas as equipes podem definir qual deles.
  • Os dez pilotos mais rápidos ao final do Treino Classificatório ainda deverão devolver o jogo de pneus mais macio escolhido para uso exclusivo no Q3. Para a corrida, eles deverão usar os compostos com que fizeram suas voltas mais rápidas no Q2, como já acontece atualmente. Os demais pilotos poderão usar o jogo que economizaram no Q3 durante a corrida.

FOTO EM ALTA: http://f1pressarea.pirelli.com/wp-content/files/2015/12/PIRELLI-TYRE_Purple.png

 

Sobre a Pirelli

Com mais de 140 anos de tradição, a Pirelli é uma multinacional italiana consagrada na indústria de pneus, com 20 unidades industriais em 14 países e atividades comerciais em mais de 160 países nos cinco continentes. Na América Latina está presente com seis unidades produtivas, sendo quatro delas no Brasil, onde tem atuação industrial há mais de 85 anos: Gravataí (RS), Campinas e Santo André (SP) e Feira de Santana (BA); além de uma na Argentina (Merlo), e outra na Venezuela (Guacara). A empresa emprega mais de 38 mil pessoas no mundo, sendo cerca de 14 mil na América Latina, das quais mais de 12 mil estão nas unidades brasileiras. A Pirelli é também fornecedora exclusiva da Fórmula 1 desde a temporada 2011.

 

Em Sumaré, no Estado de São Paulo, está localizado o Campo Provas Pneus Pirelli, pioneiro na América Latina, que compõe um dos mais importantes Centros de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa no mundo: o de Santo André. Com perfeita integração, em tempo real aos demais Centros que a empresa possui na Itália, Alemanha, Estados Unidos e Reino Unido, a unidade de estudos brasileira está capacitada a desenvolver, receber e aplicar as mais avançadas tecnologias na produção de pneus para uma gama completa de aplicações: caminhões e ônibus; automóveis e caminhonetas; tratores e implementos agrícolas; máquinas para uso fora de estrada; motocicletas; além de materiais para a reconstrução de pneus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *