MotoGP 2020: Michelin introduz oficialmente novo pneu.

Esta é a primeira mudança na construção para a traseira há dois anos. Estamos ansiosos por vê-la operar em condições de corrida e bater mais recordes”; diz Piero Taramasso, gestor de duas rodas da Michelin Motorsport do novo pneu de MotoGP.

 

A Michelin confirmou oficialmente que um novo pneu traseiro para construção vai estar disponível para a temporada de MotoGP de 2020, após uma ampla gama de testes realizados em vários locais no ano passado.

 

A nova construção visa aumentar o desempenho e a estabilidade para todos os pilotos e máquinas, o que significa melhores tempos por volta e em corrida.

Após testes internos de laboratório, a nova cobertura traseira foi facultada ao grid da MotoGP para testar pela primeira vez durante o teste pós-corrida da Catalunha em Junho do ano passado.

 

Isto foi seguido por mais testes realizados em Brno e Misano, antes de uma sessão especial de 20 minutos para o novo pneu durante o fim-de-semana do Grande Prêmio da Austrália em Phillip Island, o local mais punitivo para os pneus da temporada.

 

A Michelin ainda forneceu o pneu para ensaios adicionais durante os testes pós-temporada em Valencia e Jerez, respectivamente.

 

Ao longo de todos os testes, a traseira de nova construção foi combinada com “compostos adequados aos respectivos circuitos e que os pilotos usaram durante o fim de semana de corrida, oferecendo uma comparação clara e objetiva entre as construções dos pneus”, segundo o comunicado do fabricante francês.

 

Depois de analisar todos os dados e comentários, os técnicos da Michelin em Clermont-Ferrand aprovaram o lançamento da nova construção para a temporada 2020.

 

“Após um cronograma de testes tão intenso e envolvente, estamos contentes por lançar o pneu traseiro de construção nova”, disse Piero Taramasso.

 

“Estamos trabalhando nesta última evolução há algum tempo e com a assistência e feedback abrangente de todos os pilotos, sabemos que produzimos um pneu que melhorará o desempenho de todos os envolvidos.”

 

“Agora informamos á Dorna e á IRTA sobre a mudança e fornecemos às equipes e fabricantes as especificações completas e dados detalhados, para que eles possam configurar as motos para oferecer o melhor desempenho com essa nova borracha traseira.”

 

“Esta é a primeira mudança na construção da traseira desde há dois anos e um importante avanço na evolução dos nossos pneus Michelin Power Slick para o MotoGP.”

 

“A nova construção está alinhada com a abordagem de provas duradouras da Michelin, que garante um desempenho consistente durante toda a corrida, e agora estamos ansiosos para vê-la apresentar-se em condições de corrida e quebrar mais recordes”.

 

Nas 19 rodadas do calendário do ano passado, oito dos recordes de volta ainda datam da era da Bridgestone, anterior a 2016: Argentina, Austin, Mugello, Assen, Brno, Aragón, Motegi e Phillip Island.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *