Moto GP – A maestria de Marc Marquez em Brno.

O Grande Prêmio da República Checa, em Brno, foi palco do mais recente recital de rapidez e inteligência por parte de Marc Márquez. Tal como já havia acontecido o ano passado em Sachsenring, o piloto espanhol leu de forma perfeita uma corrida realizada debaixo de condições instáveis para assim assegurar uma daquelas vitórias que no final do ano será certamente recordada e que pode muito bem valer um título quando chegarmos ao Grande Prêmio da Comunidade Valenciana no próximo mês de novembro.

Percebendo desde muito cedo que a pista de Brno estava secando e que com isso estava perdendo eficácia com os pneus para chuva montados na sua RC213V, Márquez, que partiu da pole position, entrou nas boxes para trocar para a moto com pneus ‘slick’ logo no final da segunda volta e com isso caiu naturalmente para o final do pelotão. Foi  sem dúvida uma jogada arriscada, pois se a chuva retornasse nos voltas seguintes tudo sairia errado. Porém como já diz há muito o povo quem não arrisca não petisca.

Sem o retorno da chuva e imprimindo um ritmo diabólico o líder do campeonato foi subindo posições na classificação geral, à medida que os outros pilotos iam parando, e rapidamente chegou à liderança quando ultrapassou na pista Johann Zarco, o último resistente com pneus de chuva. Quando todos já tinha feito o pit stop, o piloto da Honda tinha 17 segundos de vantagem para o segundo classificado e a terceira vitória da temporada no bolso. Melhor cenário era impossível ainda por cima num circuito onde até ao dia de ontem apenas tinha vencido por uma vez na classe rainha.

Se Marc Márquez jogou na perfeição a sua cartada, o mesmo não se pode dizer que tenha ocorrido no campo da Yamaha e da Ducati, as duas marcas que estão a discutir o título com o piloto de Cervera. Mais uma vez e parecendo não aprender com os erros verificados nomeadamente o ano passado a Yamaha atrasou a parada nos boxes, em especial no caso de Valentino Rossi, e com isso fez os seus pilotos caírem muitas posições na classificação quando retornaram à pista. Com uma forte ponta final de corrida tanto Maverick Viñales como Rossi ainda ‘salvaram parte dos pontos’ ao terminarem a corrida na terceira e quarta posições, respetivamente, mas o alargar da desvantagem pontual no campeonato para Marc Márquez foi uma dura realidade.

Na Ducati Andrea Dovizioso também entrou tarde nas boxes, na mesma altura que Valentino Rossi, e depois só conseguiu recuperar até ao sexto posto numa pista onde há muito que não se dá bem. Já Jorge Lorenzo, apesar de ter liderado as primeiras voltas, bateu ainda mais no fundo quando entrou nas boxes e por um erro de equipe na troca de sua moto caiu.

Pelo meio Dani Pedrosa, segundo na corrida, e companheiro de  equipe na Marc Márquez na Honda hesitou um pouco no momento de parar nas boxes, que aconteceu uma volta depois do seu compatriota. Essa foi a diferença entre poder discutir a prova e ficar sem forças com relação á  mesma. Tudo conjugado ajuda e muito a explicar a estratégia de mestre executada por Marc Márquez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *