Histórias da Fórmula 1 – O Grande Prêmio da Inglaterra de 1983.

Falaremos de mais uma bela disputa entre os pilotos Alain Prost e Nelson Piquet como ponto forte da nona etapa da temporada de 1983; entretanto essa prova ocorreu em um sábado, no dia 16 de julho de 1983.

A novidade deste Grande Prêmio, em termos de calendário, era que seria disputado num Sábado, em vez de ser num Domingo. Seria a última vez que seria assim.

Nesta prova tivemos a entrada de uma equipe, a Spirit, que trazia junto com ela o retorno de um nome mítico da Formula 1: a Honda. A Honda queria também estrear o seu motor Turbo, mas queria fazê-lo de forma discreta, para ver como se comportavam de inicio, antes de dar o salto para equipas maiores. Como piloto, escolheram o sueco Stefan Johansson.

Assistam agora o Grande Prêmio em sua íntegra.

Na largada, os Ferrari lutaram pela liderança, com Prost, Patrese e Cheever logo atrás. Na batalha entre vermelhos, Tambay levou a melhor, mas o Renault de Alain Prost estava atento às movimentações. O alto ritmo das voltas iniciais causou estragos no pelotão: nas primeiras dez voltas, o De Angelis, Cheever, Patrese e Johansson desistiram com problemas de motor ou de combustível.

Entretanto, Piquet subia posições, e estava em quarto lugar por alturas da volta 15. Nessa altura, Arnoux perdia velocidade e começou por ser ultrapassado primeiro por Prost, e depois por Piquet. Na volta 20, Prost assalta Tambay pela liderança e conseguiu o seu intento, ficando por lá até ao fim. Algumas voltas mais tarde, à 31ª volta, foi a vez de Piquet fazer o mesmo.

O restante da corrida foi mais calmo, com alterações nos lugares inferiores. Nigel Mansell fez uma paragem mais tardia e compensou a estratégia, terminando colado a Tambay, na quarta posição. Arnoux, depois de lutar contra Mansell, conseguiu o quinto posto, enquanto que Niki Lauda foi o melhor dos não-turbo, ao acabar a prova no sexto lugar, à frente do Alfa Romeo de Mauro Baldi. Com esta terceira vitória do ano, alain Prost cimentava a sua lidernça, mas Nelson Piquet e René Arnoux espreitavam por um qualquer deslize

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *