Fórmula 1 – Será o fim da linha de Romain Grosjean?

É amigos, já um clássico da F1. No meio da temporada as dúvidas sobre o futuro de Romain Grosjean na F1 vão se instalando. Este ano o cenário é idêntico, mas o desfecho poderá ser muito diferente ao dos anos anteriores.

 

Romain Grosjean esta de novo sendo vítima dos seus próprios erros e em Silverstone juntou mais um, a uma coleção já considerável. Que ninguém duvide que estes carros de F1 são de fato máquinas difíceis de controlar, mas o pião na saída das boxes de Grosjean é mais um episódio similar ao do incidente em Baku, com a “colaboração” de Marcus Ericsson. Os carros são difíceis mas o nível é altíssimo e este tipo de erros, neste contexto se tornam… comprometedores.

Grosjean nunca foi um piloto com uma legião de fãs e o seu talento raramente foi unânime entre os seguidores da F1. Mas o francês mantém-se desde 2009 na F1. Em 153 GP conseguiu 10 pódios. Grosjean não é um dos piores pilotos da F1, muito longe disso. O francês tem velocidade e capacidade para rodar com os mais rápidos. Mas é também um piloto muito dado a erros. Esses erros por várias vezes o colocaram no limbo, mas conseguiu sempre responder aos desafios e se manteve na categoria até agora. No ano passado viveu um pesadelo na primeira metade do ano, mas recuperou e no fundo mereceu novo voto de confiança da Haas.

Mas a Haas esta num ano difícil. A equipe não encontra solução para os problemas do carro e é provável que no fim da temporada haja algumas alterações para que a renovação traga novas ideias e um novo rumo. Nada é certo e aqui, entramos no campo da especulação, mas a Haas mantém a dupla de pilotos desde 2017. São três temporadas de estabilidade e num esporte de alta competição este tipo de estabilidade pode também se tornar prejudicial pois é preciso “sangue novo” para enfrentar os novos desafios. Há pilotos com muita qualidade no mercado que veriam na Haas a equipe ideal para dar continuidade à sua carreira. A permanência de Grosjean na equipe pode estar em risco.

 

Merece Grosjean estar outra vez no fio da navalha? Pelos erros que tem cometido, torna-se quase inevitável. Mas o seu talento é tendencialmente menosprezado o que também é injusto. Não tem o calibre dos homens da frente, ninguém tem ilusões sobre isso, mas não é dos piores que passou pelo grande circo… Muito longe disso. A saída da Haas seria difícil para o francês pois nesta fase, não surgem no horizonte possibilidades de se manter na F1.

 

Veremos que novidades o mercado proporcionará, mas não seria surpreendente que Grosjean voltasse a ser falado para uma possível saída da equipe.

 

Segundo a conhecida “Rádio Paddock” o diretor da equipe  Günther Steiner chefe da equipe, não escondeu o nervosismo com seus titulares, descarregando duras críticas em cima dos competidores. Há quem diga que, Pietro Fittipaldi que é um dos pilotos reservas do time será o substituto do francês na equipe, entretanto esta esbarrando na falta de pontos para adquirir a super licença. Entretanto o dirigente esta conversando e pedindo apoio das demais equipes para que possa efetuar tal mudança (no regulamento o piloto que não tem pontos para a super licença tem que ser aprovado pelas demais equipes do grid).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *