Ford desafia designers a criar moda “Ecochic”.

A Ford desafiou dez designers da Ásia e da Europa a criar a moda EcoChic de roupas usando materiais reciclados de automóveis. O Ford Design Challenge, promovido em parceria com a Redress, instituição de caridade dedicada à moda sustentável, foi realizado durante a Hong Kong Fashion Week. O objetivo do evento foi destacar a importância do design sustentável tanto na moda como na indústria automotiva.

 

Veronica Lee, da Malásia, e Amandah Andersson, da Suécia, foram as vencedoras do Prêmio EcoChic Design 2014/15. Os dez designers finalistas, de Hong Kong, China, Taiwan, Malásia, Singapura, Reino Unido, França, Suécia e Dinamarca, transformaram tecidos de bancos de carros da Ford em roupas, usando o processo criativo conhecido como “up-cycling” para converter materiais descartados em algo novo e de qualidade superior.

 

O patrocínio da Ford ao Prêmio EcoChic Design 2014/15 está alinhado com o compromisso de longo prazo da empresa com a sustentabilidade. Desde 2001, uma equipe dedicada de engenheiros da Ford trabalha para incorporar materiais sustentáveis nos veículos, atendendo aos padrões rigorosos de qualidade e desempenho da marca. Hoje, a empresa usa materiais reciclados de garrafas de plástico, jeans, palha de trigo, óleo de soja, mamona e outros para ajudar a reduzir a geração de resíduos, o consumo de energia e o esgotamento dos recursos naturais. A Ford também pesquisa junto com a Heinz o aproveitamento de fibras de tomate no desenvolvimento de materiais sustentáveis para veículos.

 

Criatividade sustentável

A peça premiada foi inspirada na arquitetura do Conselho Legislativo de Hong Kong, com um design assimétrico e elegante que combina diferentes texturas e tecidos usando uma cartela de tons ocre. “Aproveitamos a espuma do verso do tecido para criar um efeito de cor e textura que lembra as paredes de pedra do edifício”, disse Amandah Andersson, que está criando a sua própria marca em Estocolmo. “Acredito que o up-cycling e a inovação no design, tanto nos carros como na moda, são um passo importante em direção a um futuro sustentável para todos.”

 

“A oportunidade de trabalhar com tecidos reciclados de automóveis foi uma experiência estimulante. Nunca pensei que garrafas plásticas pudessem ser transformadas em materiais e roupas tão inusitadas”, completou Veronica Lee, recém-formada em design de moda pelo Raffles Design Institute de Cingapura.

 

Emily Lai, gerente de Design da Ford Ásia Pacífico, parabenizou os designers pelo sucesso na difícil tarefa de criar moda a partir de um material técnico como os tecidos de automóveis. “Mais de 80% do impacto ambiental de um produto é determinado na fase de projeto. Assim, os designers têm o poder de influir na geração de resíduos ambientais e minimizar esse impacto com o uso criativo de materiais e outras inovações. As criações que vimos nesse desafio são exemplos disso”.

 

Christina Dean, fundadora e CEO da Redress, destacou que o trabalho da instituição ajuda a chamar a atenção para o problema de acúmulo de resíduos nos aterros do planeta. “O desafio promovido com a Ford foi uma grande demonstração de como o pensamento de design sustentável é importante para a moda e para a indústria automotiva.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *