FIA WEC: Pilotos da Toyota querem manter handicap para última prova.

A Toyota vai para a última prova no Bahrein com a certeza que trará a vitória pois nenhum dos carros privados irá participar na última prova do ano. Mas os pilotos querem que o sistema de handicaps seja mantido.

Os handicaps foram criados para permitir maior equilíbrio entre os privados e os Toyota, de forma a tornar a competição mais interessante, o que não foi conseguido, pois ficou sempre uma clara sensação de que o sistema adulterava muito as corridas. Para esta última prova, sem a presença dos privados, foi proposto que os Toyota corressem sem handicaps, mas os pilotos são contra essa ideia, como explicou Kamui Kobayashi:

“Eles ainda não decidiram qual será a EoT”, disse o piloto do carro #7 ao Motorsport.com. “Espero que eles mantenham os handicaps, caso contrário, haverá muita sorte envolvida. Na última corrida, se eles voltarem a um EoT normal só porque não está a Rebellion, não faz sentido, porque foi assim que eles nos prejudicaram durante toda a temporada. Estas são as regras e não devem ser alteradas no meio da temporada.”

Kazuki Nakajima, piloto do carro #8 admitiu que, caso as regras de handicap continuem em vigor para o Bahrein, ele, Sebastien Buemi e Brendon Hartley entrarão na corrida com muito poucas chances de levar o título:

 

“Da forma como o sistema funciona, é muito difícil compensar, porque vamos perder um pouco de potência”, disse Nakajima ao Motorsport.com. “Todas as vezes que tivemos um handicap, desde o início da temporada, foi difícil. Sabemos que será difícil vencer o carro # 7, mas é uma corrida longa, de oito horas, então só precisamos fazer nosso trabalho e ver o que acontece. Para ser honesto, não ficarei muito desapontado se terminar atrás do carro nº 7, porque é assim que deveria ser. Claro que para o campeonato seria mais emocionante, sem handicaps, mas de certa forma é injusto, porque as regras já existem desde o início da temporada. Do nosso lado, ficaria feliz, mas se estivesse no outro carro, acharia injusto. Mas ficarei bem com o que eles decidirem.”

 

 

Um porta-voz da Toyota disse sobre a situação: “Esperamos que o sistema de desvantagem de sucesso esteja em vigor no Bahrein.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *