FIA WEC – O retorno das 1000 milhas ao calendário da categoria.

Faltam apenas três provas para o fim da Super Season. E nesta reta final, o campeonato terá três palcos míticos. Spa e Le Mans são as últimas paradas mas para já é tempo de regressar a Sebring, a pista que recebeu a primeira prova do WEC.

Sebring foi uma das novidades do calendário da Super Season e tem também direito a um sistema de pontos adaptado, com o vencedor levando para casa 32 pontos, o segundo lugar 23 e o terceiro 19.

Não há grandes novidades na lista de inscritos com sete LMP1, sete LMP2, onze LMGTE Pro e nove LMGTE AM.

Nos LMP1 o domínio incontestado da Toyota se mantém, com a liderança na tabela à frente da Rebellion, a única equipe privada que se tem aproximado dos japoneses. Segue a SMP, a ByKolles, que não estará presente nesta rodada, a Dragonspeed e a Ginetta que continua sem estrear na competição.

A Toyota é claramente a favorita e os resultados dos últimos dois dias de testes são evidentes. A diferença de quase dois segundos para os não-híbridos mostra bem que a luta mais acesa será interna entre os Toyota #7 e o #8. Fernando Alonso, Kazuki Nakajima e Sébastien Buemi são os lideres do campeonato de pilotos, com 102 pontos, mas os colegas José Maria Lopez, Kamui Kobayashi e Mike Conway estão perto com 97 pontos.

Depois vem as duas tripulações da Rebellion, que para esta rodada tem uma novidade… a ausência de André Lotterer. O germânico tem sido presença assídua no endurance, mas as suas obrigações na Fórmula E impedem-no de estar na pista onde tudo começou no WEC. Mathias Beche é o homem que substitui a estrela alemã.

Também na SMP há uma baixa de peso no carro #11 com Jenson Button dando primazia aos compromisso nos Super GT Japoneses, entrado para o seu lugar Brendon Hartley, que estará competindo na prova do WEC e do IMSA. Sergey Sirotkin é também novidade na SMP no carro #17.

Nos LMP2 a luta está completa entre os dois carros da Jackie Chan DC Racing e da Signatech Alpine. O #38 da DC Racing está na frente com 112 pontos, seguidos do #36 da Alpine e do #37 da DC Racing. A grande novidade deste fim de semana é a estreia dos novos pneus Dunlop, um terceiro composto desenvolvido pela marca britânica que responde assim a Michelin. A Alpine mudou da Dunlop para a Michelin enquanto a DC Racing se mantém com a Dunlop. Os Oreca mantém-se como o chassis mais competitivo deste grupo, mas será interessante nesta nova guerra de pneus, ver quem sai por cima.

Nos LMGTE Pro há uma novidade com a entrada de um Corvette. O resto do pelotão dos GTE mantém-se sem grande surpresas. A Porsche lidera a competição com 181 pontos, seguidos da Ford (105) e da Ferrari (102).

Kevin Estre e Michael Christensen são os lideres com 111 seguidos de Olivier Pla e Stefan Mucke a alguma distância e em igualdade pontual com Gianmaria Bruni e Richard Lietz. Nesta categoria o nosso destaque é para o português Antônio Félix da Costa que retorna ao endurance, na companhia do brasileiro Augusto Farfus e Bruno Spengler, que troca com Alexander Sims, que passou para o #81. Os Porsche continuam muito fortes, mas a Ford conhece bem a pista e quer certamente mostrar serviço nesta que poderá muito bem ser a última temporada. Esperemos que os BMW continuem evoluindo e que possam chegar ao topo.

Em LMGTE temos com grande destaque Pedro Lamy com os companheiros do costume. O português é vice- líder, atrás da tripulação do Porsche da Team Project 1 que teve um incidente nos testes que antecederam esta prova. Os danos foram tais que obrigaram a equipe a recorrer a outro chassis que veio da Alemanha. A TF Sport fecha o top 3 na luta por equipes e por pilotos.

É um fim de semana em cheio em Sebring com o WEC e o IMSA para animar os fãs de Endurance.

A Veloxtv transmitirá tudo o que acontecerá em Seabring neste final de semana e ao vivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *