FIA WEC – Diálogo entre responsáveis do ACO e do IMSA continuou em Sebring.

Scott Atherton, presidente do IMSA afirmou à Sportscar365 que as discussões para o futuro regulamento conjunto para os protótipos continua em bom ritmo. Responsáveis do IMSA, do ACO e da FIA estiveram reunidos em Sebring de forma a tentar dar mais um passo para um futuro comum para os dois campeonatos.

 

Sabe-se que da reunião não saiu nenhuma decisão formal no entanto as partes interessadas continuam otimistas :

 

“O dialogo tem melhorado ao longo do tempo com as pessoas envolvidas. A presença de Vincent Beaumesnil foi inesperada mas um bom complemento. Tivemos uma conferência via web com marcas presentes no campeonato e outras interessadas há 10 dias atrás e esta reunião foi feita no seguimento dessa conferência.  Temos nos reunidos com Pierre Fillon e Gerard Neveu. Uma conversa mais filosófica do que técnica. O diálogo continua.”

 

Há no entanto ainda muito trabalho pela frente até que as partes envolvidas na negociação atinjam um acordo. O ACO quer manter a componente híbrido e o mesmo nível de potência dos carros atuais, Há também indícios que se pretende usar aerodinâmica ativa, ou que permitiria aos carros se adaptarem as diferentes exigências de cada pista, sem ser necessário gastar muito dinheiro no desenvolvimento de kits aerodinâmicos específicos. Mas isto está claramente acima da simplicidade que o IMSA tem colocado em pista, tudo para manter os custos baixos e atrair mais marcas.  Há no entanto sintonia no que diz respeito ao intervalo de tempo que se pretende para a resolução desta negociação. O conjunto de regulamentos vigentes no IMSA estará em cena até 2021 e o ACO pretende que os novos regulamentos seja implementados em 2021 mas não se importa de esperar mais um ano  o que coloca as duas partes na mesma janela de tempo.

Outros rumores sugeriram que as negociações não estão correndo assim tão bem quanto possa parecer e que a via da união pode estar em risco. Para já é um mundo de frases feitas e pouco mais. Ainda estamos longe da fumaça branca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *