Avaliação da Semana – Jetta Comfortline, confortável, seguro e elegante em suas novas linhas.

Caros amigos da Veloxtv, nesta semana falaremos do teste que realizamos com o Volkswagen Jetta Comfortline 1.4 TSI. Estivemos com o veículo pelo período de sete dias onde percorremos mais de 1.400 km sendo a maior parte em estrada.

A semelhança com outros carros do grupo assusta, especialmente em relação ao Virtus, olhando ele de lado. Mas o aumento de tamanho deu ao Jetta 2019 um ar mais elegante.

A frente com faróis de LED chama a atenção e olha que nem são os faróis mais sofisticados, presentes nos modelos americano e mexicano.

A traseira com lanternas em LED também funciona bem, assim como as rodas de liga leve aro 17 polegadas, que lembram o Virtus.

A inserção de uma vigia nas colunas tirou um pouco do DNA do Jetta, trazendo ele mais para perto do irmão menor e do próximo Passat. O teto solar panorâmico destaca bem o modelo, mesmo na versão Comfortline.

Parte Interna

No ambiente interno, não há como negar a influência de projetos como o do Virtus, mas o conjunto elevado no painel dá ao Jetta 2019 mais individualidade e nos faz lembrar que algo assim era feito por um antepassado distante, o Santana.

O Jetta Comfortline que andamos é um carro mais elegante, algo que o clássico era sem dúvida. Mas, olhando para o presente, o Jetta 2019 na versão Comfortline tem um visual sóbrio e comportado.

Aliás, falando em cores, o sedã médio nessa opção mantém o sistema de iluminação personalizada, mas sem envolver diretamente a instrumentação como no Active Info Display, exclusivo do R-Line.

É fácil notar, mesmo de dia, as luzes de LED sob o painel, console e portas.

O ar-condicionado dual zone, o revestimento touch costurado sobre o painel e o aplique cinza texturizado na parte central deixam o Jetta Comfortline mais comportado e interessante.

Com bancos confortáveis e revestidos em material que imita couro, o Jetta Comfortline compensa algumas perdas com um bom teto solar panorâmico, que ilumina mais e dá algum status.

Os espaços para as pernas e cabeças são bons, assim como o tamanho do porta-malas, mesmo com os pescoços de ganso. Afinal, 510 litros são bem-vindos em qualquer segmento.

Viajamos com o Jetta para Juiz de Fora

A distância entre São Paulo e Juiz de Fora (MG) é de 479 Km e fizemos o percurso de ida no período noturno, vamos resumir em uma única palavra o sentimento em dirigi-lo á noite….“Impecável”.

Mesmo mais comportado, o Jetta 2019 não deixa de lado a performance que tanto marcou a geração anterior (exceto é claro, em relação ao 2.0 8V), trazendo de volta do México o nacional EA211 1.4 TSI com 150 cavalos a 5.000 rpm e 25,5 kgfm a 1.400 rpm.

Na versão Flex, os valores independem do combustível. Assim, a escolha vai mais pelo valor do litro do que exatamente pelo consumo, embora o 1.4 TSI tenha bons números oficiais e excelente em nossa condução.

Durante o percurso dentro da cidade de São Paulo, nós fizemos a média de 13,6 Km/l, levando-se em conta que o no período do teste o trânsito na metrópole é insano.

Á partir do momento que pegamos a Rodovia Ayrton Senna e Carvalho Pinto, percebemos o quanto cuidadosa foi a Volkswagen com a melhoria em seus motores, em caso de retomadas, percebemos a agilidade do mesmo, sem alterar seu conforto e a comodidade em dirigir.

De estrada andamos 879 Km sempre na velocidade limite permitida por cada rodovia; Ayrton Senna (120 Km/h), Presidente Dutra ( 110 Km/h), Lúcio Meira – BR393 (100 Km/h) e por fim a BR-040 (110 Km/h) com uma média de 17.58 Km/l; excelente para um veículo deste porte, constatamos em alguns pontos das estradas o consumo instantâneo acima de 23 Km/l.

O propulsor teutônico é muito forte, seja o flex ou o movido a gasolina, ele entrega uma boa resposta em quase qualquer regime. Pode-se andar esportivamente, que ele compreende e atende. As retomadas, mesmo no modo Eco são pontuais numa emergência.

O câmbio no modo manual atua igualmente bem e é bem independente nesse modo. No modo Normal, o Jetta 2019 anda solto, divertido. As respostas são mais previsíveis, mas compensadoras.

Com trocas de marchas suaves e em regimes bem acertados, não há do que reclamar em termos de desempenho, exceto pela falta dos paddle shifts, para tornar a brincadeira mais agradável. Dada a maciez maior da suspensão, por momentos parece que há mais motor que carro.

Falando em comportamento, a plataforma modular MQB é bem rígida e neutra, garantido boa dirigibilidade, mesmo em curvas bem fechadas, mesmo com o eixo de torção traseiro.

Pelo comportamento em asfaltos ruins e ruas esburacadas, o Jetta 2019 foi bem acertado em termos de suspensão, assim como uma direção adaptativa e agradável. Os freios também ajudam no bom equilíbrio do Jetta 2019. De maneira geral é um carro muito gostoso de dirigir.

Centrado na parte frontal do habitáculo, os recursos oferecidos pelo Jetta Comfortine são interessantes.

Obviamente seria bom ter o Active Info Display e até o AAC com Front Assist, mas o pacote oferecido não é de todo ruim, tendo ainda multimídia com Android Auto, Car Play e Mirror Link, câmera de ré, gestão de climatização e configuração pessoal personalizada.

Conclusão

Em nossa avaliação o Volkswagen Jetta Comfortline 1.4 é uma excelente opção de compra para que esta a procura de um carro com valor aproximado de R$ 105mil, á procura de um requinte, de uma segurança e muito prazer ao dirigir; além de seu conforto não só para os motoristas como seus passageiros.

O novo Jetta chama atenção do público, impactando diversas opiniões e sentimentos para os proprietários de modelos Jetta de anos anteriores, deixando claro e notório para nós que a Volkswagen acertou na mudança e atualização do veículo.

A segunda parte da matéria virá na próxima semana, com as palavras de algumas pessoas que entrevistamos e seu requinte perante um evento de Queijo e Vinho na Região Serrana do estado do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *