Avaliação da Semana – Andamos com o Chevrolet Onix LTZ 1.4 o queridinho dos hatchs.

Caros amigos internautas, é com um imenso prazer que nesta semana falaremos do queridinho dos brasileiros quando perguntamos no segmento hatch, o Onix Ltz 1.4. 

O Chevrolet chega à linha 2019, e ainda é campeão de vendas, mas se vê ameaçado por novos rivais, como Fiat Argo e VW Polo. E, por isso, fica mais equipado em toda a linha. Todos os Onix ganham câmera de ré (quando têm central multimídia), apoio de cabeça e cinto de segurança de três pontos para o quinto passageiro e painel com luz branca.

Melhoraram o acabamento e novidades como retrovisores elétricos e lâmpadas “blue vision” nos Activ, Effect e nesse LTZ – que ainda ganha bancos “híbridos”, com couro e tecido. Isso além do que já oferecia, como monitor de pressão dos pneus, volante multifuncional, abertura global, etc.
São bons pacotes, ainda melhores do que os que levaram o hatch à liderança de vendas – e entre os principais atrativos sempre esteve a central multimídia MyLink, ainda atual e completa, graças à boa qualidade sonora, à interface amigável e à integração com Android Auto/CarPlay.

O Onix não inspira esportividade, mas é corretíssimo, com baixo consumo (fizemos 17 km/l na estrada e 12 na cidade com gasolina) e trocas de marcha imperceptíveis. O nível de ruído na estrada é baixíssimo, mesmo a 120 km/h (e 2.900 rpm) e o torque em baixa é ótimo para o uso urbano (é um 8V). Para completar, as suspensões são robustas e bem acertadas, assim como a direção elétrica – que mais parece hidráulica, e isso é um elogio.

O hatch da GM tem 3,93 metros de comprimento e 2,52 metros de entre eixos. Há bom espaço para as pernas dos ocupantes, o que ajuda o recuo no formato dos bancos dianteiros. Apesar disso, o túnel central é alto, ou seja, o passageiro central do banco de trás não viajará confortável.

Impressões ao dirigir

Apesar de ter ganho itens importantes na nova linha, sentimos falta de outras mudanças. Na hora de encontrar a melhor posição para dirigir, falta o ajuste de profundidade do volante, só está disponível o de altura.

O hatch também poderia ter ganho sistema start/stop. Item de série no rival Fiat Argo, o equipamento teria ajudado o indicie de consumo do Onix, que é alto se comparado aos rivais. A versão que dirigimos, com propulsor flex de até 106 cv e 13,9 kgfm faz 7,9 km/l na cidade e 12,6 km/l na estrada com etanol, de acordo com o Inmetro. Quando abastecido com gasolina, chega a 12,2 km/l em circuito urbano e 17,2 km/l na estrada.

Apesar disso, o motor 1.4 tem fôlego suficiente e o câmbio tem boas respostas. Na alavanca, o botão para passagens manuais propicia certa agilidade e controle. Se fosse por aletas no volante, as trocas sequenciais seriam mais intuitivas. A direção elétrica é bem calibrada, leve para manobras e a suspensão também não decepciona. A dirigibilidade é, definitivamente, um ponto forte do Onix.

Custo-benefício

Um dos pontos fortes do Onix é a farta lista de equipamentos. A versão LTZ tem os seguintes itens de série: alarme, ar-condicionado, chave tipo canivete, computador de bordo, desembaçador e limpador do vidro traseiro, direção elétrica, indicador de troca de marcha, trio elétrico, volante multifuncional, ajuste de altura do banco do motorista,  banco traseiro rebatível, sensor de ré, sistema multimídia MyLink com tela sensível ao toque de 7 polegadas, Android Auto, Apple CarPlay, rádio, entradas USB e auxiliar, Bluetooth, ajuste de altura da coluna de direção, faróis com lâmpadas do tipo Blue Vision, faróis de neblina, luz de posição em led, roda de alumínio aro 15 com superfície usinada, volante multifuncional com revestimento de couro sintético e bancos de couro sintético.

Vale a compra?

Sim, o Onix é bom em vários itens: espaço, equipamentos e dirigibilidade. Podendo levar tranquilamente quatro pessoas de forma confortável em uma viagem de média duração (aproximadamente 3 horas).

Ficha técnica

Dianteiro, transversal, 4 cil. em linha, 8V, comando simples, flex
Cilindrada: 1.389 cm³
Potência: 98/106 cv a 6.000 rpm
Torque: 13/13,9 kgfm a 4.800 rpm
Câmbio: Automático de 6 marchas, tração dianteira
Direção: Elétrica
Suspensão: Indep. McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.)
Freios: Discos ventilados (diant.) e tambores (tras.)
Pneus: 195/65 R15
Comprimento: 3,93 m
Largura: 1,70 m
Altura: 1,47 m
Entre-eixos: 2,52 m
Tanque: 54 litros
Porta-malas: 280 litros (fabricante)
Peso: 1.062 kg
Garantia: 3  anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *