Mitsubishi Cup levanta muita poeira no forte calor de Mogi Guaçu.

A Mitsubishi Cup abriu, neste sábado, sua 17ª temporada. A etapa foi repleta de desafios: os competidores largaram na pista do Autódromo Velo Città e apenas depois de percorrer um trecho de asfalto seguiram para a terra. No roteiro, estradas de fazenda e vários quilômetros margeando uma plantação de cana-de-açúcar bastante alta, o que aumentou a dificuldade tanto para pilotos quanto para navegadores. “Precisa de entrosamento entre a dupla, é um pouquinho mais difícil”, explica Marcelo Bortoluz, navegador que venceu a etapa na categoria Pajero TR4 ER.

Além da cana alta, as duplas encontraram um piso de terra batida e seca que levantou muita poeira. “Desenhamos uma especial de média e alta velocidade, para já começar a temporada com o pé direito e muitos desafios”, conta Guilherme Spinelli, diretor da Ralliart Brasil, divisão de alta performance da Mitsubishi Motors.

A primeira etapa marcou também a estreia de novos competidores, como Adalberto Baptista, que até então tinha apenas experiência em automobilismo de pista. “Nunca tinha andado na terra e achei muito prazeroso. É outro esporte, completamente diferente. E você não sabe se vira para a direita ou esquerda, tem que confiar no navegador”, conta o piloto de um ASX RS, que, ao lado de Fabio Pedroso, conseguiu a 4ª colocação na categoria.
ms16_mogi_adrianocarrapato_460
Além da estreia de Adalberto, foi a primeira vez que o ASX RS, desenvolvido pela Ralliart Brasil, foi às pistas. “O carro é muito confortável, rápido, agradável de dirigir. E ainda bem que tem ar-condicionado”, brinca Adalberto. O termômetro bateu os 33ºC – um desafio a mais para as duplas, que precisaram lidar com o calor e o cansaço físico.

E também teve troca de papeis: Marcelinho Mendes, piloto mineiro, correu pela primeira vez como navegador. “Eu gosto de experiência nova, aprender é comigo”, garante. Ele levou o prêmio de melhor navegador estreante – e, ao lado de Wander Cortes, subiu ao pódio em 4º lugar na categoria Pajero TR4 ER. “É uma superação sentar do lado do piloto que nunca correu velocidade e orientar de todas as formas, e também fazer a navegação pela primeira vez. Foi complicado, mas muito gratificante!”
Assim como ele, as duplas estão animadas para encarar os desafios da temporada 2016. “É o campeonato mais prazeroso que existe no Brasil, com provas de cross-country muito velozes”, ressalta André Miranda, piloto e campeão da categoria Pajero TR4 ER Master nesta etapa.

Os campeões da etapa de abertura
Na categoria Pajero TR4 ER, quem levou a melhor foi Paulo Theophilo Dias Filho e Marcelo Bortoluz. “A etapa foi rápida, com trajeto bem desenhado. E o resultado, melhor impossível”, celebra o navegador. “O Marcelo navega muito bem. E subir ao pódio dá um gás, dá vontade de acelerar ainda mais”, garante Paulo.

Já na categoria ASX R, Rafael Aragão Souza Lopes e Damon Alencar comemoraram o primeiro lugar. “Corremos de ASX R ano passado e pude ser um dos primeiros a testar o carro, que é sensacional. Para este ano, melhorou em desempenho, segurança e equilíbrio. Excelente para o rali cross-country”, ressalta o navegador Damon. Já o piloto Rafael, que correu a Mitsubishi Cup pela primeira vez, celebrou a vitória. “Foi muito bom ter um navegador experiente. Fiquei tenso de não saber o que vinha pela frente. Mas subir ao pódio foi uma surpresa boa, ainda mais com os concorrentes fortes que a categoria tem.”
ms16_mogi_adrianocarrapato_758
Na Pajero TR4 ER Master, a dupla que venceu a temporada 2015 já abriu este ano com o primeiro lugar. “Mostramos que Mogi Guaçu é nossa!”, diverte-se o piloto André Miranda, relembrando que a última etapa do ano passado foi realizada na mesma cidade. A dupla conquistou cinco pontos a mais pois foi a mais rápida no trecho on-road. “Andar no asfalto é bem diferente do que estamos acostumados, porque quem anda mais nos trilhos é quem faz a melhor volta e na terra você pode derrapar e ganhar tempo”, explica.

Na nova categoria ASX RS, Ricardo Feltre e Ivo Mayer ficaram com o primeiro lugar. “Me surpreendeu muito positivamente, o carro é muito forte”, diz o piloto. “É uma satisfação enorme já subir ao pódio correndo de carro novo e em dupla nova.” Foi a primeira vez que os dois competiram juntos. “É muito bom, o ânimo redobra”, promete o navegador. “A categoria é nova, mas já tem vários “casca grossa”. Vamos seguir o ano e tentar ao máximo subir sempre no pódio”, finaliza Ricardinho.

Na L200 Triton ER, vitória de Glauber Fontoura ao lado de Rafael Malucelli. “A prova foi puxada para o navegador e o piloto precisava confiar muito”, conta Rafael. “É nosso segundo ano andando juntos e já melhoramos muito nosso entrosamento.” Glauber tem uma vasta experiência em rali cross-country: já venceu duas vezes o Rally dos Sertões na categoria Super Production. “Corro desde a primeira temporada da Mitsubishi Cup e nunca fui campeão, só vice. Esse ano o objetivo é ganhar e começamos com o pé direito”, promete o piloto.
ms16_mogi_gustavoepifanio_0733
A próxima etapa da Mitsubishi Cup será dupla, com provas no sábado e no domingo, dias 14 e 15 de maio, em Jaguariúna (SP).

Mais informações no site www.mitsubishimotors.com.br, pelo Facebook.com/MundoMit e pelo Twitter (@nacaomitsubishi).

A Mitsubishi Cup tem patrocínio de Axalta, Itaú, Petrobras, Transzero, Pirelli, STP, Unirios, Clarion e Projeto Sign.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *