Harley-Davidson do Brasil dá cinco dicas para motociclistas que pretendem fazer a primeira viagem.

Os cuidados redobrados com a moto, as prevenções essenciais antes de montar o roteiro da viagem, vestimentas apropriadas para pilotagem – sem esquecer dos dias de frio, calor e chuva – itens imprescindíveis para levar na viagem, a manutenção adequada da motocicleta e um kit básico para qualquer emergência técnica são assuntos que devem ser levados em consideração antes de sair queimando o asfalto por aí.
Por isso, a Harley-Davidson do Brasil, visando sempre oferecer o melhor customer experience além de contribuir para momentos memoráveis sobre duas rodas, selecionou cinco dicas importantes para quem vai pegar a estrada pela primeira vez a bordo de um modelo da marca. Afinal de contas, a segurança na pilotagem é o que garante uma experiência incrível acompanhada de muitas histórias para contar.
1. A primeira dica vem antes de ligar uma Harley-Davidson, já que é necessário verificar alguns  itens essenciais para a segurança pessoal, como luvas, capacete sem danos e na data de validade, botas resistentes e jaqueta com protetores internos. Esses aparatos garantem que os danos sejam minimizados em caso de uma possível queda.
2. A “saúde” da moto é outro item relevante. Ela precisa estar com todas as revisões em dia, pneus calibrados de maneira correta, pastilhas de freio verificadas, tanque abastecido e bom nível de óleo. Se qualquer um desses itens não estiver nessas condições, o destino não deve ser a estrada e sim a concessionária Harley-Davidson mais próxima.
3. Além disso, na hora de cuidar da limpeza de uma H-D, é importante certificar que o modelo seja lavado com os produtos corretos. Na ausência deles, o uso de água e sabão neutro já resolvem o problema. Assim, nenhuma peça será danificada durante a limpeza por produtos abrasivos que podem causar danos nas motocicletas.
4. Mesmo tomando todos esses cuidados e precauções, imprevistos podem acontecer e, por isso, é necessário anotar a quarta dica: a prevenção para lidar com qualquer situação não planejada. Levar um kitde ferramentas básicas vai ajudar na realização de algum reparo de emergência durante o ride. Primeiro, é preciso avaliar quanto espaço existe na motocicleta para carregar as ferramentas. Em alguns modelos, o espaço é limitado, e isso afetará a seleção das ferramentas. Por outro lado, os motociclistas com baggerstêm condições de carregar mais itens.
Depois, é importante entender também que cada moto é única e requer um conjunto diferente de ferramentas. Ou seja, não adianta carregar uma chave fixa de 5/8” se você não tiver nenhum parafuso de 5/8” na moto. Outro fator para determinar exatamente quais ferramentas levar é a familiaridade com o modelo e seus requisitos técnicos específicos, além do conhecimento de quais ações tomar para um possível reparo de emergência.
5. Conhecer muito bem o manual do proprietário também faz a diferença. Entender o máximo possível dos princípios relativos à operação de cada componente principal da motocicleta ajuda caso algo dê errado. Assim, haverá um entendimento do problema para o reparo ou na solicitação de auxílio profissional e diagnóstico da situação da moto. É possível também baixar uma cópia do manual do proprietário no celular para economizar um espaço valioso em sua motocicleta.
Durante o período de garantia, o cliente tem acesso ao serviço do Rider Assistance, então é fundamental ter o número caso seja necessário: 0800 131 854. O nível de cobertura dos serviços pode ser consultado em www.hog.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *