Depois da Mercedes e Renault se terem manifestado contra os planos da Liberty Media para o futuro da Fórmula 1, eis que a elas se junta a Ferrari e de uma forma bem mais ‘forte’, pois Sergio Marchionne ameaça mesmo sair da Fórmula 1.

Numa conferência através da internet com jornalistas especializados na área econômica, e numa altura em que se discutiam os resultados financeiros da Ferrari, Sergio Marchionne revelou estar muito pouco impressionado com algumas das direções apontadas pela Liberty Media, onde se inclui a questão dos motores e revelou que se a F1 não for uma plataforma que beneficie a Ferrari como marca, então não ‘irá a jogo’:

“A Liberty tem algumas boas intenções, como por exemplo reduzir custos, mas há coisas com que não concordamos. Chegamos a um ponto em que os motores dos F1 se tornaram únicos e se isso não se mantiver como uma bandeira, um estandarte que distinga a F1 de todo o resto, eu acho que isso não deverá ir em frente. Se chegamos a um ponto em que passamos a estar em desacordo em termos do desenvolvimento estratégico desta singularidade e vemos que a F1 pretende assumir um caminho diferente em 2021, isso irá forçar algumas decisões por parte da Ferrari. Penso que a Liberty deverá ter levado isso em conta quando anunciou a sua visão, mas parece que tem de ficar claro que, a não ser que tenhamos um conjunto de circunstâncias cujos resultados beneficiem a marca, o seu mercado e reforcem a posição única da Ferrari, então não iremos a jogo” disse Marchionne. O acordo existente entre a Ferrari e a F1 vigora até 2020, mas tudo pode acontecer para depois disso.

Como é lógico, não é esta a vontade de Marchionne, e sendo verdade que a Ferrari faz falta à Fórmula 1, o contrário também é totalmente verdade, e como sempre na história da Fórmula 1, todo e qualquer ‘player’ usa as ‘cartas’ e os ‘trunfos’ que tem para jogar para levar a água ao seu moinho. Esta é claramente uma primeira mensagem que a Ferrari manda para o mercado, dizendo qualquer coisa do estilo “se não fazes como eu quero, eu vou-me embora” algo que na história da F1 e da Ferrari já aconteceu imensas vezes (a Ferrari chegou mesmo a liderar uma corrente para um campeonato paralelo). Esta é só mais uma, mas também ninguém garante que pela primeira vez na história da F1, esta deixa de ter a Ferrari.

Em breve teremos mais capítulos desta história…..mas uma coisa lhes digo; que a Ferrari esta fazendo uma pressão imensa para não perder seus privilégios adquiridos ao longo dos anos mesmo que seja contrário á evolução e competitividade da categoria; pois já imaginaram mais de 6 equipes com equipamentos parelhos disputando o campeonato? A disputa será acirrada e até 20121 muita água passará em baixo desta ponte.