Aí está o retorno esperado da Alfa Romeo Fórmula 1, de início apenas através de uma parceria com a Sauber e a Ferrari. A motorização dos monopostos da equipe em 2018 irá ser renomeada Alfa Romeo e a equipe passa a se chamar Alfa Romeo Sauber F1 Team. No comunicado da Sauber ficamos sabendo que esta parceria irá incluir cooperação estratégica, comercial e tecnológica, bem como troca de know-how técnico.

Desta forma, o ano de 2018 marca o retorno da marca Alfa Romeo à F1, o que não sucedia desde 1985. Segundo Sergio Marchionne, o diretor executivo da Fiat Chrysler Automobiles, conglomerado industrial que junta as marcas do Grupo Chrysler (Chrysler, Jeep, RAM e Dodge) e Fiat (Fiat, Alfa Romeo, Maserati, Ferrari e Iveco): “Este acordo com a Sauber F1 Team é um passo significativo na reformulação da marca Alfa Romeo, que desta forma retorna à Fórmula 1 depois de uma ausência de 32 anos” disse Marchionne.

Apesar de não ter sido revelado, acredita-se que a Sauber vai ter na equipe o Campeão da Fórmula 2, Charles Leclerc, ficando a dúvida se Marcus Ericsson continua no outro carro ou será Antonio Giovinazzi, outro Ferrari júnior a ser ‘promovido’.

A história da Alfa Romeo na competição

Lembramos que a Alfa Romeo tem grande tradição na competição, e não só na F1. A marca italiana esteve na F1 desde o nascimento da competição em 1950, até 1988, como montadora e também como fornecedor de motores. Nos anos de estreia, em 1950 e em 1951, a Alfa Romeo venceu o primeiro mundial de pilotos com Giuseppe ‘Nino’ Farina e Juan Manuel Fangio. Entre 1961 e 1979 a Alfa Romeo foi fornecedora de motores para várias equipas de F1. Depois de regressar em 1979 como construtor, a Alfa Romeofoi sexta classificada em 1983, naquela que foi  sua melhor classificação após o regresso. A marca retirou-se da Fórmula 1 em 1985.

O símbolo do Quadrifoglio (trevo de quatro folhas) dominou as mais míticas provas, como por exemplo o rali Targa Florio, as Mille Miglia e Le Mans. Conquistou 5 títulos mundiais: o primeiro Grande Prêmio Mundial em 1925 com o P2, os dois primeiros campeonatos de F1 com o lendário 158 e com o 159 Alfetta, o Campeonato Mundial de Marcas de 1975 com o 33 TT 12 e o Campeonato Mundial de Esportivos de 1977 com o 33 SC 12. A Alfa Romeo escreveu muitas outras páginas indeléveis do automobilismo com o P3, o fantástico 6C 1750, o inesquecível 8C e o ‘drástico’ 155 V6 TI DTM. Mais um capítulo vai ser agora escrito.

Galeria de Imagens: