FIA WEC – Toyota vence na despedida da Porsche.

Sebastien Buemi, Anthony Davidson e Kazuki Nakajima asseguraram para a Toyota a quinta vitória do ano, triunfando facilmente nas 6 Horas do Bahrein, deixando os segundos classificados, o Porsche 919 Htybrid #2 de Timo Bernhard, Earl Bamber e Brendon Hartley, a mais de uma volta, depois de terem tido  problemas muito cedo na corrida, não recuperando mais do que até ao segundo lugar. O segundo Porsche 919 Hybrid, de Neel Jani, Andre Lotterer e Nick Tandy terminou no lugar mais baixo do pódio.

Depois de seis anos, a Porsche dá assim por encerrado seu novo capítulo no endurance, um capítulo interessante, especialmente quando estiveram em competição a Porsche, Audi e Toyota. A excelência tecnológica destes carros é grande, mas os custos ditaram que tem que ser dado novo passo, e por isso agora vai haver dois anos de transição até novas regras. Tudo recomeça a 5 de maio de 2018, com as 6 Horas de Spa. Sem Porsche, mas com Toyota, que vai ter Fernando Alonso testando, e deverá tê-lo nas próximas 24 Horas de Le Mans.

Na LMP2, a Rebellion assegurou o título e foi Bruno Senna, sem direção assistida no seu carro, mas com uma grande condução, que levou a equipe ao título. Bruno Senna, Julien Canal e Nicolas Prost recuperaram 40 segundos de atraso para os rivais da Jackie Chan DC Racing e asseguraram  o título para a Vaillante Rebellion.

Na GTE Pro, James Calado e Alessandro Pier Guidi asseguraram o título com um segundo lugar no Bahrein. Calado e Pier Guidi chegaram a esta corrida com dois pontos de vantagem na liderança, com os pilotos da Porsche e Ford Chip Ganassi Racing com hipóteses dos bater. Os seus colegas de equipe, Sam Bird e Davide Rigon lideraram a primeira parte da corrida no #71 Ferrari 488 GTE na frente do Ford GT #67 de Harry Tincknell e Andy Priaulx, mas tudo mudou na terceira hora, quando Pier Guidi levou o Ferrari #51 ao terceiro lugar, beneficiando depois de uma ‘Full Course Yellow’ e de um pião do Porsche 911 RSR #92. Priaulx perdeu meio minuto e Pier Guidi manteve a liderança que Calado só perdeu por troca com os seus colegas de equipe, só para o photo finish dos dois Ferrari.

Na GT-Am, o título foi para a Aston Martin e Pedro Lamy, com a equipe que é constituída ainda por Paul Dalla Lana e Mathias Lauda que terminaram quase uma volta na frente do resto do pelotão, isto apesar de Lauda ter caído de primeiro para quarto na primeira hora. Na terceira hora, Dalla Lana chegou à liderança e Lamy confirmou-a. A equipe conseguiu os títulos de Pilotos e Equipes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *