F1: Mudanças nos monopostos em 2019 será devido aos patrocínios.

A preocupação pelos espaços para patrocinadores vai levar a mudanças nos monopostos em 2019, criando espaços mais ‘limpos’, permitindo uma maior visibilidade para os patrocinadores, sem prejudicar o nível aerodinâmico. As propostas foram trazidas por cinco equipes, e houve acordo em duas idéias para começar em 2019. Os defletores terão de ser mais baixos, o que permite melhor visibilidade para a parte lateral do chassi, próximo às pernas dos pilotos – um local considerado privilegiado para patrocinadores. Além disso, um espaço plano no topo da parte lateral da asa traseira, sem obstáculos para o posicionamento de logos, será obrigatório.
Ambas as mudanças já foram discutidas pelo Grupo Técnico, já que potenciais implicações de performance foram avaliadas. Houve, também, a discussão para simplificar as asas dianteiras com menos elementos por motivos de patrocínio, mas o consenso foi de que o impacto aerodinâmico seria muito grande para justificar uma mudança que não tem causa técnica. O ano passado, as equipes tiveram ideias opostas sobre a barbatana de tubarão, com algumas (especialmente a McLaren) destacando que ela escondia a visão de logos na asa traseira. A barbatana foi banida para 2018, e, mesmo que tenha sido discutida novamente pelo Grupo Estratégico, a pedido de uma equipe, não há planos para o retorno.
Seria mais fácil se o corpo técnico da categoria olhasse para os anos 80 aonde as exposições de marca eram bastantes visíveis e estratégicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *