Ducati 1199 Panigale S Senna.

20 anos após a morte de Ayrton Senna, a Ducati preparou uma moto especial em homenagem ao ídolo brasileiro. Em parceria com o Instituto Ayrton Senna, a empresa italiana de motos de luxo desenvolveu modelo adaptando ideias que o tricampeão de Fórmula 1 para o projeto da 916 Senna, feita em 1994, para a 1199 Panigale S Senna.

Naquele ano, antes do fatídico acidente em Ímola, Senna esteve na fábrica da Ducati em Borgo Panigale, na região de Bolonha, para desenvolver a série especial da 916, lançada apenas depois de sua morte. Apesar de o piloto nunca ter visto uma 1199 Panigale, as mesmas soluções utilizadas em 1994 foram transferidas ao novo projeto.

Apenas 161 unidades serão produzidas, todas montadas em Manaus, e destinadas apenas ao mercado brasileiro. O número foi escolhido pois representa a quantidade de GPs disputados por Ayrton na Fórmula 1.

Vendida a R$ 100 mil, a Panigale Senna deve se tornar objeto de desejo de colecionadores, devido à exclusividade e importância do projeto. Entre suas peculiaridades, está a cor cinza das carenagens e as rodas vermelhas, exatamente como Senna pensou para a 916.

Componentes de fibra de carbono em diversos itens, como para-lamas, deixaram o conjunto ainda mais leve. Como detalhes específicos, também aparecem o escape especial feito pela Termignoni e uma mesa especial, a mesma da esportiva mais cara da empresa, a Superleggera, onde estarão inscritos o número de série da moto – de 1 a 161. Além dos detalhes especiais, o modelo já traz conjunto bem completo, com base no poderoso motor bicilíndrico de 195 cavalos.

A lista de siglas para os aparatos eletrônicos é imensa, indo de freios ABS, acelerador eletrônico, controle de tração e suspensão eletrônica.

Por se tratar de uma moto para colecionador, a Panigale Senna não possui rivais diretas, mas é possível apontar alguns modelos com conjuntos equivalentes. As também europeias BMW HP4, versão mais especial da S 1000 RR, e a MV Agusta F4 RR são exemplos, mas ambas possuem motores de quatro cilindros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *